COB fará trabalho especial com Felipe Wu, medalhista dos Jogos Olímpicos da Juventude no tiro esportivo!

4 de outubro de 2010

Além do suporte regular a treinamentos e participações em competições, o COB realizará um trabalho específico com o atirador Felipe Wu. Medalha de prata nos Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura 2010 na prova de pistola 10m, o atleta esteve na última quarta-feira, dia 29, na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para realizar as primeiras sessões de uma avaliação psicológica, denominada pela área de Ciência do Esporte do COB como Trabalho Mental. O paulista de 18 anos é o primeiro atleta da nova geração, que se destacou há um mês nos Jogos da Juventude, contemplado pelo COB para receber este suporte personalizado. O objetivo da entidade é oferecer elementos para estimular o desenvolvimento técnico do atleta.

Felipe fará parte de um seleto grupo de atletas que o COB, em conjunto com as Confederações Brasileiras Olímpicas, enxerga possuir potencial de bons resultados para o esporte nacional. Neste momento, as avaliações estão voltadas para as seletivas do Campeonato das Américas de Tiro Esportivo (CAT), que acontecerão no final de outubro. A competição que será realizada entre os dias 18 e 28 de novembro no Rio de Janeiro, renderá vagas para a modalidade nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Felipe é o primeiro atleta de Cingapura 2010 a realizar esse tipo de atividade em parceria com o COB. Junto com o psicólogo Guilherme Pineschi, que faz parte da equipe do Laboratório Olímpico, ele aprenderá técnicas de relaxamento e visualização da modalidade, entre outras. “Por se tratar de um esporte que exige muita concentração, vamos focar em um primeiro momento no aspecto mental. Depois, iniciaremos o trabalho em outras áreas de atuação, como a fisiologia e a biomecânica. Identificaremos quais os pontos em que ele pode evoluir para oferecer um suporte personalizado ao atleta”, revelou Marcus Vinicius Freire, superintendente executivo de esportes do COB.

A escolha por Felipe Wu se deu através de uma avaliação técnica do desempenho dos atletas que participaram dos Jogos Olímpicos da Juventude. Segundo a avaliação do COB, outros atletas que se destacaram em Cingapura serão contemplados com este serviço. O trabalho está sendo desenvolvido pela nova gerência de Projeto Especiais da entidade e visa a investir e dar suporte a atletas com potencial para alcançar bons resultados em competições esportivas, culminando com medalhas para o país em Jogos Olímpicos. “Estou muito satisfeito com essa iniciativa do COB. É um reconhecimento do meu resultado em Cingapura. É um trabalho novo para mim e tem tudo para dar certo. Nunca tive essa estrutura, que é fundamental para o desenvolvimento do atleta”, comentou Felipe Wu.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Porto Alegre recebe GP neste fim de semana!

4 de outubro de 2010

O ginásio da Sogipa, em Porto Alegre (RS), recebe neste fim de semana (9 e 10 de outubro) a quinta edição do Grand Prix Nacional Interclubes de Judô, principal e mais importante evento do país por equipes. As principais judocas do Brasil disputam o Grand Prix, além de medalhistas em mundiais, olimpíadas e estrangeiras.

A quinta edição do Grand Prix Femin ino terá a participação de oito clubes divididos em dois grupos. No Grupo A estão a Sogipa, atual campeã do Grand Prix, São Caetano, Flamengo e Associação Rogério Sampaio. No Grupo B estão inscritos Pinheiros, Castelo Branco, Minas Tênis Clube e Unisul.

Após dois títulos conquistados pelo Esporte Clube Pinheiros e pelo São Caetano, a Sogipa quebrou a hegemonia paulista no evento e levantou pela primeira vez a taça em 2009. A chance de defender o título dentro de casa é comemorada pelas atletas da equipe gaúcha, principalmente a vice-campeã mundial Mayra Aguiar.

“Lutar dentro de casa, diante dos amigos e familiares é algo que todo atleta gosta. Eu não me sinto pressionada pelo fato de ter conquistado a medalha no mundial, para mim é algo que já passou. Foi maravilhoso, mas agora tenho que trabalhar ainda mais”, diz Mayra Aguiar.

Entre os destaques internacionais no Grand Prix feminino 2010 estão Vanessa Zambotti (MEX/Castelo Branco +70kg), Melissa Mojica (PUR/Flamengo +70kg), Yurileides Lupetey (CUB/Sogipa -57kg), Ónix Aldama (CUB/Pinheiros -70kg) e Idalis Ortiz (CUB/Minas +70kg).

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Brasil 30 vezes no pódio no Pan Sub 13 e 15 – Resultados completos!

4 de outubro de 2010

 nova geração do judô brasileiro brilhou no último fim de semana durante o Campeonato Pan-Americano Sub 13 e Sub 15, disputado no Panamá. O Brasil teve um excelente aproveitamento no torneio e manteve a hegemonia continental da modalidade.

No Sub 13 foram 15 medalhas, sendo dez de ouro, duas de prata e três de bronze. Já no Sub 15 o país subiu mais 15 vezes ao pódio, com outros dez ouros, duas pratas e três bronzes.

O Campeonato Pan-Americano Sub 13 e Sub 15 teve a participação de 12 países, entre eles México, EUA, Colômbia, Argentina e Canadá.

RESULTADOS COMPLETOS

-28 Kg
1 DELIMA Amanda Brasil
2 MA Stephanie Estados Unidos
3 BATISTA Iris Panamá
3 CASTILLO Marlin Venezuela
-31 Kg
1 ALO Teniya Estados Unidos
2 URIBE Elianeth Venezuela
3 ANJOS Gabrielle Brasil
3 ARCOS Betty Ecuador
5 LEAL Katherin Yoleni Colombia
5 DAMAS Emily México
-34 Kg
1 HERBERT Rita México
2 JOHNSON Kavin Estados Unidos
3 DIAZ Yulieth Milena Colombia
-38 Kg
1 BAPTISTA Gabriela Brasil
2 DIAZ Marcela México
3 TENEMAZA Ana Ecuador
3 OISHI Torie Estados Unidos
5 REIM Erin Canadá
5 SANCHEZ Kellin Tatiana Colombia
-42 Kg
1 PRADO Gabriela Estados Unidos
2 ANDRADE Vitoria Brasil
3 FUENTES Anazath Panamá
3 PACHECO Alejandra Venezuela
-47 Kg
1 CLEMENTE Gabriela Brasil
2 PROKSA Gabrielle Estados Unidos
3 CHE Alicia México
3 PARDO Alicia Panamá
-52 Kg
1 DEMACEDO Rute Brasil
2 CAMARGO Cinthia México
3 LIEBY Katherinne Estados Unidos
3 MANRIQUE Yulinet Venezuela
+52 Kg
1 PERRONI Isabela Brasil
2 PAPADAKIS Nefeli Estados Unidos
3 CUFFY Elaina Bahamas
3 MOSQUERA Luisana Venezuela
5 SANTIAGO Marina Panamá
-28 Kg
1 ESCUDERO Sergio Brasil
2 GUINGONA Kai Estados Unidos
3 MARIÑO REY Arturo Argentina
3 ROSADO Moises México
Evento División Lugar Nombre Equipo
5 CHAN Brandon Panamá
-31 Kg
1 PINHEIRO Mike Brasil
2 CODINANCH Mikael Estados Unidos
3 RODRIGUEZ Livan Alberto Colombia
3 SANCHO Sebastian Costa Rica
5 RUIZ Martin México
5 MENDEZ Cristian Panamá
7 KOLNIK Victor Argentina
7 HUMALA Xavier Ecuador
-34 Kg
1 ORTEGA Marco México
2 MOLINA Andres Ecuador
3 FARIAS Vinicius Brasil
3 MARIN Ricky Estados Unidos
5 ELGUETA Mauro Argentina
5 VILLAR Andres Panamá
7 MUNNINGS Andrew Bahamas
7 PERALTA Jose Costa Rica
-38 Kg
1 NEDER Leonardo Brasil
2 PRADO Mateo Ecuador
3 NAVARRO Gonzalo Argentina
3 HONDA Myles Estados Unidos
5 BERRON Ian México
-42 Kg
1 PHILIPPE Matheus Brasil
2 RUIZ Michael Puerto Rico
3 RIOS Santiago Argentina
3 OGANYAN Haykaz Estados Unidos
5 CASTILLO Osvan México
5 JARAMILLO Johan Panamá
-47 Kg
1 RODRIGUEZ Luanh Brasil
2 COOK Quentin Estados Unidos
3 NAVARRO Cesar Argentina
3 COELLO Kevin Ecuador
5 CASALS Carlos Puerto Rico
5 GARCIA Jonathan Venezuela
7 RODRIGUEZ Carlos Panamá
-52 Kg
1 OCHOA Victor México
2 LANDAETA Victor Venezuela
3 DO MONTE Matheus Brasil
3 STAMPLEY Nicholas Estados Unidos
5 RODRIGUEZ Diego Panamá
5 BARRETO Eli Puerto Rico
7 GONZALEZ Victor Argentina
7 AICCHHOLZEV Bruno Ecuador
+52 Kg
1 BARBOZA Arkangel Colombia
2 DA CUNHA Gabriel Brasil
3 PAVLOV Nick Estados Unidos
3 SERGIO Jaime Venezuela
5 CLARK Miguel Panamá

-36 Kg
1 DA SILVA Bruna Brasil
2 CRISOSTOMO Maira México
3 DODELINE Joset Haiti
3 GUTIERREZ Genesis Venezuela
5 REED Brianna Estados Unidos
-40 Kg
1 WHITE Ashlyn Estados Unidos
2 COLMAN Layana Brasil
3 CEVALLOS Alejandra Ecuador
-44 Kg
1 ALO Teshya Estados Unidos
2 VAZQUEZ Nahomi México
3 CASTRO Genesis Ecuador
3 GONZALEZ Wilmari Venezuela
5 JACOBI Natalia Brasil
5 ACEVEDO Paola Puerto Rico
7 PUGA Darlen Panamá
-48 Kg
1 JIMENEZ Jazbeidy Colombia
2 DEMACEDO Anne Brasil
3 COLUNGA Karen México
3 SANCHEZ Betsy Venezuela
5 TRUONG Summer Estados Unidos
-53 Kg
1 BITENCOURT Gabriela Brasil
2 MAY Maria México
3 CHANDLER Cassidy Estados Unidos
3 RAMIREZ Osneidy Venezuela
5 ROLON Flavia Argentina
5 ALMENDARES Valeska Nicaragua
7 BONILLA Ivana Panamá
-58 Kg
1 BRENES Diana Costa Rica
2 BECERRA Leidy Jhoana Colombia
3 PASCOALINO Yanka Brasil
3 OCHOA Debanhi México
5 TORRES Tiffany Estados Unidos
5 ALDANA Monica Nicaragua
7 LUNA Katerin Venezuela
-64 Kg
1 SCHMIDT Aine Brasil
2 FIEGE Nadine Estados Unidos
3 CHAVEZ Patricia México
3 MORALES Litza Puerto Rico
5 PALACIOS Daniela Colombia
5 RODRIGUEZ Elvismar Venezuela
7 RAMIS Macarena Argentina
Evento División Lugar Nombre Equipo
+64 Kg
1 WILLIAMS Mackenzie Estados Unidos
2 SILVA Brenda Brasil
3 BONILLA Luisa Fernanda Colombia
3 VEGA Gissel Venezuela
5 QUITO Karolina Ecuador
5 PEREZ Glennys Puerto Rico
7 INTERIAN Evelyn México
7 MILORD Atala Panamá

-36 Kg
1 PIRES Kainan Brasil
2 HERNADEZ Juan Pablo Colombia
3 JUNCO Andres Ecuador
3 MORALES Endersom Venezuela
5 REIM Josh Canadá
5 ROIG Nicolas Estados Unidos
-40 Kg
1 RIBEIRO Douglas Brasil
2 ORTIZ Lautaro Argentina
3 ANDRADE Jonathan Ecuador
3 JIMENEZ Orvis Venezuela
5 JEAN BAPTISTE Weadimir Haiti
5 RODRÍGUEZ Carlos Puerto Rico
7 KEARNEY Matthew Estados Unidos
7 PINEDA Wanderley Panamá
-44 Kg
1 CHANDLER Cole Estados Unidos
2 MAKIYAMA Rodrigo Brasil
3 PEÑA Juan Sebastián Colombia
3 MUJICA Lenin Venezuela
5 UEZEN Luciano Argentina
5 DALTON Luis Haiti
7 SAMUDIO Roberto Panamá
7 CINTRÓN Rafael Puerto Rico
-48 Kg
1 GONZÁLEZ Steven Puerto Rico
2 PINEDA-ABAYA Noah Estados Unidos
3 PESSOA Pedro Brasil
3 VELASQUEZ Stiguar Venezuela
5 VITAL Brian Argentina
5 QUIROZ Luis Costa Rica
7 GONZALEZ Ronald Panamá
-53 Kg
1 LOPES Rodrigo Brasil
2 TELLO Juan Carlos Colombia
3 SANCHO Julian Costa Rica
3 HERNANDEZ Cesar Venezuela
5 DIAZ Adonis Estados Unidos
5 GANDÍA Adrian Puerto Rico
7 RABADAN Francisco Argentina
7 PEREZ Ariel Panamá
-58 Kg
1 MORALEZ Franklin Venezuela
2 LECARO Kevin Ecuador
3 COELHO Gabriel Brasil
3 FREEMAN Cole Estados Unidos
5 HUDSON Tajaro Bahamas
5 GARRIDO Dangelo Panamá
7 CARCAMO Santiago Argentina
7 RIVERA Heli Puerto Rico
-64 Kg
1 MARCON Brener Brasil
2 GONZALEZ Luis Venezuela
3 ELLISON Armani Estados Unidos
3 AYALA Samuel México
5 TOME Alexis Argentina
5 DIAZ Andres Panamá
7 DÍAZ Francisco Puerto Rico
+64 Kg
1 AVENDAÑO Constantino México
2 GUILLEN David Costa Rica
3 GONCALVES Hugo Brasil
3 VELASCO Joao Ecuador
5 MIDELTON Jose Panamá
5 CONCEPCIÓN Luis Puerto Rico
7 VELER Ben Estados Unidos
7 PETIT Neiro Venezuela

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Brasil conquista sete medalhas na Copa do Mundo de Roma!

4 de outubro de 2010

Depois do ouro de Felipe Kitadai (ligeiro) e dos bronzes de Breno Alves (ligeiro) e Bruno Mendonça (leve), o Brasil conquistou mais quatro medalhas na Copa do Mundo de Roma e acabou como o país com o maior número de pódios na competição. Neste domingo, o pesado Rafael Silva foi prata, assim como o meio-pesado Leo Leite. Os pesados Walter Santos e Luiz Carmo conquistaram o bronze. Veja todas as lutas:

81kg: Felipe Costa – sétimo lugar

Venceu Aljaz Sedej (SLO)

Venceu Micha Egger (SUI)

Perdeu para Robert Gess (GER)

Repescagem: Perdeu para Antonio Ciano (ITA)

 

100kg: Leonardo Leite – Prata

Venceu James Austin por yuko (shido)

Venceu Yaroslav Rytko (UKR) por waza-ari

Venceu Daniel Hadfi (HUN) por ippon

Venceu Zafar Makhmadov (RUS) por waza-ari

Perdeu para Tagir Khaibulaev (RUS) por ippon

 

+100kg: Rafael Silva – Prata

Venceu Tino Bierau (GER) por ippon

Venceu Vladimir Osnacs (LAT) por ippon

Venceu Aslan Kambiev (RUS) por ippon

Perdeu para Martin Padar (EST) por yuko

 

+100kg: Walter Santos – Bronze

Venceu Luuk Verbij (NED) por ippon (2 waza-ari)

Venceu Alexandro Frezza (ITA) por yuko

Perdeu para Martin Padar (EST) por ippon

Venceu Vladimir Osnacs (LAT) por ippon

 

+100kg: Luiz Carmo – Bronze

Venceu Soslan Bostanov (RUS) por ippon

Perdeu para Martin Padae (EST) por ippon

Repescagem: Venceu Alexandro Frezza (ITA) por ippon (2 waza-ari)

Venceu Aslan Kambiev (RUS) por ippon

 

Fonte: Site da CBJ

 

Saudações Olímpicas!

 

Sebástian Pereira

Brasil em terceiro lugar de 111 países por medalhas conquistadas!

12 de setembro de 2010

** CAMPANHA NO MUNDIAL DE TÓQUIO 2010:

 Masculino:

 81kg: Leandro Guilheiro – prata

 66kg: Leandro Cunha – prata

 +100kg: Rafael Silva – 5o lugar

 81kg: Flávio Canto – 5o lugar

 90kg: Tiago Camilo – 7o lugar

 Feminino:

 78kg: Mayra Aguiar – prata

 48kg: Sarah Menezes – bronze

 52kg: Erika Miranda – 5o lugar

 ** BRASIL EM MUNDIAIS:

23 MEDALHAS 4 OUROS / 5 PRATAS / 14 BRONZES

1971 (Ludwigshafen/GER): Chiaki Ishii (-93kg/bronze)

1979 (Paris/FRA): Walter Carmona (-86kg/bronze)

1987 (Essen /GER): Aurélio Miguel (-95kg/bronze)

1993 (Hamilton/CAN): Aurélio Miguel (-95kg/prata) e Rogério Sampaio (leve/bronze)

1995 (Tóquio/JPN): Danielle Zangrando (-56kg/bronze), Sebástian Pereira (-71kg / 5°Lugar), Flávio Canto (-78kg/5°Lugar)

1997 (Paris/FRA): Aurélio Miguel (-95kg/prata), Edinanci Silva (- 72kg/bronze) e Fúlvio Myata (-60kg/bronze)

1999 (Birmingham/GBR): Sebastian Pereira (-73kg/bronze)

2003 (Osaka/JPN): Mario Sabino (-100kg/bronze), Edinanci Silva (- 78kg/bronze) e Carlos Honorato (-90kg/bronze) 

2005 (Cairo/EGY): João Derly (-66kg/ouro) e Luciano Corrêa (- 100kg/bronze)

2007 (Rio de Janeiro/BRA): João Derly (-66kg/ouro), Tiago Camilo (- 81kg/ouro), Luciano Correa (-100kg/ouro) e João Gabriel Schilittler (+100kg/bronze).

2010 (Tóquio/JPN): Mayra Aguiar (-78kg/prata), Leandro Guilheiro (-81kg/prata), Leandro Cunha (-66kg/prata), Sarah Menezes (-48kg/bronze)

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

12 de setembro de 2010

Leandro Cunha e Sarah Menezes conquistaram mais duas medalhas para o Brasil no Campeonato Mundial de Judô, que está sendo realizado em Tóquio. O meio-leve foi medalha de prata enquanto a peso ligeiro ficou com o bronze na competição. Ainda faltando as disputas no Absoluto nesta segunda-feira, em que terá três atletas (Walter Santos, Rafael Silva e Luciano Correa), a seleção brasileira já igualou seu recorde de participação em finais em um Mundial (três no Rio de Janeiro 2007) e também o recorde de medalhas em uma edição da competição (quatro no Rio 2007). Além disso, essa foi a melhor participação feminina em Mundiais com uma prata e um bronze. No total o Brasil conquistou três pratas (Mayra Aguiar/78kg, Leandro Guilheiro/81kg e Leandro Cunha/66kg), um bronze (Sarah Menezes/48kg) e três quintos lugares (Rafael Silva/+100kg, Flavio Canto/81kg e Erika Miranda/52kg), além do sétimo lugar de Tiago Camilo/90kg. Em número de  medalhas conquistadas, o Brasil aparece em terceiro lugar entre 111 países atrás apenas de Japão, com uma campanha avassaladora de 18 medalhas (8/4/6) e França com cinco (dois ouros e três bronzes).

“Mostramos que temos uma equipe bem homogênea. Apesar de serem resultados individuais, essas medalhas são fruto do conjunto, da união da equipe”, diz o coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson. “Sem dúvida foi um Mundial muito bom em função da dificuldade da competição sem repescagem e com um recorde de participantes, com dois judocas por país. Ainda assim poderíamos até ter ido melhor, foi questão de detalhe. Estamos no caminho certo e nossa equipe jovem mostrou o enorme potencial que tem”, acrescentou.

Depois de um começo promissor com as medalhas de Mayra Aguiar e Leandro Guilheiro nos primeiros dias, o Brasil subiu ao pódio novamente com a jovem Sarah Menezes, de 20 anos e de Leandro Cunha, que apesar dos seus 29 anos, como Sarah disputava apenas seu segundo Mundial.

“Foi a vitória da perseverança. Não tenho nem palavras para falar dessa conquista”, disse emocionado o judoca do clube Pinheiros/SP. “Essa medalha de prata me motiva ainda mais a continuar treinando em busca de um bom resultado nas Olimpíadas. Marquei pontos importantes para o ranking mundial e espero estar ainda mais forte no ano que vem”, disse Coxinha que, antes da decisão, recebeu o apoio dos medalhistas olímpicos Flávio Canto, Leandro Guilheiro e Tiago Camilo na área de aquecimento.

Reserva do medalhista olímpico Henrique Guimarães até 2004 e depois do bicampeão mundial João Derly entre 2005-2008, Coxinha viveu um grande momento na carreira em 2007, ao ser prata no Torneio de Paris (hoje Grand Slam de Paris) e ouro na Copa do Mundo de Budapeste. Mesmo assim só veio disputar seu primeiro Mundial no ano passado em Roterdã.

“O tempo faz a gente amadurecer e refletir”, pondera o meio-leve, que esse ano, porém, fez uma temporada tímida devido a uma lesão no joelho. “Agradeço à comissão técnica por ter apostando em mim e me convocado mais uma vez”, completa Coxinha, que comemorou a vitória sobre o vice-campeão mundial Sugoi Uriarte (ESP) com um embala neném.

A notícia da gravidez de quatro meses de sua mulher Flávia foi dada assim aos companheiros de equipe.

“Guardei para falar na hora certa. Estou duplamente feliz”, diz Coxinha, cuja final foi contra o campeão mundial júnior de 2009 Junpei Morishita (JPN).

Já a bicampeã mundial júnior Sarah Menezes aparecia como uma das favoritas ao pódio no ligeiro. Cabeça de chave da competição, a piauiense já havia conquistado o quinto lugar em seu primeiro mundial sênior em 2009. Dessa vez, porém, não deixou a medalha escapar.

“É maravilhoso! Lutei muito e tenho certeza de que fiz o possível e o impossível para merecer essa medalha hoje”, disse a atleta da Academia Expedito Falcão/PI. “Meu sonho ainda é uma medalha olímpica e tenho certeza de que se continuar desta maneira posso torná-lo realidade”, completou.

Na semifinal, uma luta eletrizante contra a campeã mundial e líder do ranking mundial Tomoko Fukumi/JPN foi até o último segundo, só decidida pelos árbitros após o tempo normal e prorrogação: 3 a 0 para a japonesa.

“Perdi no fôlego pois ela se mexe muito e parece incansável. Usei toda minha energia para tentar vencer e consegui encaixar alguns golpes. Foi uma boa luta”, avaliou Sarinha.

Já contra a vice-campeã olímpica e multi-medalhista mundial Frederique Jossinet (FRA) na disputa do bronze, um duelo de gerações em que a juventude venceu a experiência (a francesa tem 35 anos).

“Já tinha treinado bastante com ela e sabia exatamente o que fazer. Foi só acontecer o momento certo”, afirmou a piauiense.

Com sorriso no rosto e a bela medalha com a imagem de Jigoro Kano no pescoço, Sarah Menezes vibrava por ter conquistado seu primeiro pódio em Mundial Sênior no berço do judô.

“É muito bom vencer aqui. Foi um mundial muito duro, com dois judocas por pais. Sem dúvida quem subiu ao pódio aqui tem chance de ir bem nas Olimpíadas”, avalia a ligeiro.

No meio-leve, Erika Miranda também fez boa campanha, mas acabou repetindo o quinto lugar conquistado por ela mesma no Mundial do Rio de Janeiro em 2007. A atleta do Minas Tênis Clube foi derrotada pela russa campeã européia de 2010 Natalia Kuzyutina. O outro brasileiro em ação no dia, Felipe Kitadai (ligeiro) perdeu na segunda rodada para o vice-campeão olímpico e mundial Ludwig Paischer (AUT).

Manoela Penna, de Tóquio

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Banco de imagens é um dos trunfos da seleção brasileira!

12 de setembro de 2010

Um trabalho silencioso e muito importante é uma poderosa arma à serviço dos judocas da seleção brasileira. O carioca Leonardo Mataruna é o estrategista da Confederação Brasileira de Judô desde 2007 e, com suas quatro câmeras e dois computadores, criou um poderoso banco de imagens com mais de 22 Tera Bites de lutas de judocas de todo o mundo. Para o Mundial de Tóquio, nada menos do que 173 horas de lutas foram entregues à técnica Rosicleia Campos e outras 182 horas estão a serviço de Luiz Shinohara no time masculino. A maior parte deste material serviu de inspiração para os treinamentos durante a aclimatação em Tóquio. Afinal, todos os 25 atletas mais bem colocados no ranking mundial estavam devidamente catalogados, filmados e com suas principais técnicas elencadas para que os brasileiros não fossem surpreendidos.

Mas veio a surpresa. Tiago Camilo teria o desconhecido marroquino Mohamed Elassri pela frente.

“Aparentemente um atleta que pode não ser uma ameaça normalmente acaba se tornando perigoso pelo efeito surpresa do desconhecido”, diz Mataruna, que acionou sua rede de estrategistas de outros países para sanar o problema. “Consegui duas imagens de lutas com a Argélia e outras duas com os chineses. Assim, na véspera da luta, o Tiago já tinha estudado seu adversário da primeira rodada. Foi a missão mais difícil que tive nesses anos”, comenta ele que, em contrapartida, cedeu aos dois países vídeos de lutas de um cubano e dois canadenses.

Estrategistas de Japão, França, Canadá, Alemanha, Estados Unidos e, claro, Brasil, estão se organizando para que o intercâmbio seja mais próximo, ampliando o leque de cobertura ao mesmo tempo que diminuem os custos.

“Por causa do ranking mundial, hoje em dia a cobertura continental é tão importante quanto as grandes competições do circuito”, explica Mataruna.

O estrategista acredita que, actualmente, o Brasil já esteja no nível quatro do processo:

“O momento um foi entender como funcionava o video scout. Depois, no nível dois, ajustamos a entrega do vídeo aos atletas e técnicos, passando do DVD para o armazenamento digital. No momento três houve a renovação do equipamento e agora, no nível quatro, vamos testar novas tecnologias e alia-las à gestão do conhecimento”, conta Mataruna. “O próximo passo é criar um banco de dados na internet com todo o acervo para acesso remoto dos atletas e comissão técnica”, acrescenta.

A evolução do estrategismo no judô brasileiro é tanta que Mataruna diz, orgulhoso, que o país não deixa nada a dever a outras potências:

“Antes tínhamos um abismo em relação ao Japão. Hoje em dia posso dizer que estamos até um passo à frente. Eles levam vantagem no tamanho da equipe, que conta com seis pessoas no mínimo. Mas nós estamos mais avançado no que diz respeito à entrega aos atletas, por exemplo. Eles ainda usam DVD”, diz.

Manoela Penna, de Tóquio

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Prata para Leandro Cunha e bronze para Sarah Menezes!

12 de setembro de 2010

No quarto dia de competição do Campeonato Mundial de Tóquio, o Brasil ganhou prata com Leandro Cunha no meio-leve e bronze com Sarah Menezes no ligeiro. Erika Miranda, meio-leve, foi quinta colocada.

Parabéns aos Brasileiros que estão representando o Brasil como ele merece!

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Guilheiro: Não só eu, mas todo mundo me cobrava uma medalha em mundiais!

12 de setembro de 2010

Campeão mundial júnior (2002) e duas vezes medalhista olímpico (2004-08), Leandro Guilheiro conquistou a prata na categoria meio-médio do Campeonato Mundial de Tóquio, sua primeira em Mundiais Sênior. Subido em outubro de 2009 do peso leve (73kg) para o meio-médio (81kg), este é o seu sexto pódio em sete competições do Circuito Mundial na nova categoria, o que o levou à terceira colocação no ranking mundial. Leandrinho foi bronze no Grand Slam de Tóquio 2009, ouro no Grand Slam de Paris 2010, prata no Grand Prix de Tunis 2010, bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro 2010, ouro na Copa do Mundo de São Paulo 2010, só ficando de mãos vazias no Grand Slam de Moscou 2010.

A medalha de Leandro Guilheiro foi a 21a da história do judô brasileiro em mundiais, sendo quatro ouros, quatro pratas e 13 bronzes. Flávio Canto, também no meio-médio, ficou em quinto e Tiago Camilo, no médio, terminou em sétimo ao abandonar a repescagem devido a uma lesão inguinal.

“Não só eu, mas todo mundo me cobrava uma medalha em campeonatos mundiais. Já tive resultado em tudo o que é evento e faltava essa”, diz o judoca santista, que fez em Tóquio fez sua quarta participação na competição chegando pela primeira vez à disputa de medalha. “Num dia em que eu fiz sete lutas, é triste ter morrido na praia. Queria o ouro. Hoje estou chateado, mas com o passar do tempo vou ver que essa medalha é uma conquista realmente importante e que coroou uma boa temporada”, completou o atleta do Pinheiros/SP.

Leandro Guilheiro fez sete lutas até a decisão. Até parar no golden score diante do vice-campeão olímpico 2008 e bronze no Mundial 2009 Jae-Bum Kim (KOR), o brasileiro venceu o vice-campeão mundial de 2005 Francesco Bruyere (ITA), o campeão europeu de 2010 Sirazhudin Magomedov (RUS) e o medalhista olímpico 2004 Flávio Canto, alem de Konstantins Ovchinnkovs (LAT), Alfredo Effron (ARG) e Takahiro Nakai (JPN). Mas foi a luta com Canto que chamou a atenção.

“Somos muito amigos. Tenho oito anos de diferença e nunca na vida pensei que lutaria com o Flávio, muito menos em uma semifinal de Mundial. Quando cheguei na seleção, em 2004, em Atenas, dividia quarto com ele”, diz Leandrinho. “A minha felicidade hoje significaria a tristeza dele. Gostaria que o Flávio tivesse conseguido o bronze para dividirmos o pódio. Ele está com 35 anos, ficou um tempo sem grandes resultados mas o seu retorno esse ano foi impressionante e ele deveria estar orgulhoso do que conquistou em 2010. Gostaria que, se fosse para a gente lutar, que fosse numa final”, completa.

Pela primeira vez, a Federação Internacional de Judô permitiu que os países inscrevessem dois judocas por categoria. A luta foi bastante tática e foi o único combate que Guilheiro não pontuou a partir de um golpe e sim com duas punições de canto. No final, um abraço emocionado entre os dois rendeu aplausos do público.

Na decisão com Kim, Flávio na arquibancada foi um dos principais incentivadores de Leandro em ação. Foi a segunda vez que Kim venceu o brasileiro. A primeira, coincidentemente, foi no Grand Slam de Tóquio em 2009, quando Leandro perdeu para o coreano no golden score da semifinal e conquistou o bronze em sua competição de estréia no meio médio.

Leandro conquistou 300 pontos no ranking mundial, que classifica os 22 melhores para as Olimpíadas de Londres 2012. Com isso, o brasileiro deve chegar à vice-liderança na nova lista.

Os próximos a entrar no tatame no Mundial de Tóquio são Mariana Silva (63kg), Rafaela Silva (57kg) e Bruno Mendonça (73kg). Bruno luta com Wei Liu (CHN), Mariana enfrenta Kylie  Koenig (AUS) e Rafaela pega Nae Udaka (JPN).

Manoela Penna, de Tóquio

 

Fonte: Site da CBJ

 

Saudações Olímpicas!

 

Sebástian Pereira

Leandro Guilheiro é prata no Mundial de Tóquio!

12 de setembro de 2010

Campeão mundial júnior em 2002 e duas vezes medalhista olímpico (2004 e 08), Leandro Guilheiro conquista sua primeira medalha em mundial sênior: prata no meio-médio em Tóquio.

É a segunda prata do Brasil na competição, ao lado da conquistada por Mayra Aguiar (78kg) no primeiro dia de competição.
Guilheiro subiu de categoria depois do Mundial de 2009, em Roterdã. Desde que passou do 73kg para 81kg, o judoca santista ganhou medalhas em praticamente todas os torneios: bronze no Grand Slam de Tóquio 2009, ouro no Grand Slam de Paris 2010, prata no Grand Prix de Tunis 2010, bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro 2010, ouro na Copa do Mundo de São Paulo 2010. Apenas no Grand Slam de Moscou 2010 Leandrinho não subiu ao pódio.
Foram sete lutas até a final. Em sua campanha, o momento mais emocionante para os brasileiros: o confronto dos amigos medalhistas olímpicos de Atenas 2004, Guilheiro e Flávio Canto. Guilheiro levou a melhor por yuko (duas punições.
Na final, da arquibancada, Canto (5o colocado) fez questão de incentivar o amigo durante toda a luta.
Fonte : Site da CBJ
Saudações Olímpicas!
Sebástian Pereira