Arquivo de março de 2010

Time Brasil encerra campanha em Medellín 2010 com um total de 355 medalhas!

quarta-feira, 31 de março de 2010

O Time Brasil encerrou a disputa dos IX Jogos Sul-americanos Medellín 2010 com um total 355 medalhas, sendo 133 de ouro, 119 de prata e 113 de bronze. O resultado deu ao país a segunda colocação geral, atrás apenas da Colômbia, dona da casa, que obteve um total de 372 medalhas (144 de ouro, 124 de prata e 104 de bronze). Em terceiro lugar ficou a Venezuela com 263 medalhas (89 de ouro, 77 de prata e 97 de bronze). Primeira colocada em 2006, a Argentina ficou na quarta colocação, com 237 medalhas (54 de ouro, 76 de prata e 107 de bronze).

O Brasil participou de 37 modalidades do programa dos Jogos, ficando ausente no beisebol, hipismo, futebol, patinação velocidade e softbol. Para o Chefe de Missão do Brasil, Bernard Rajzman, o objetivo em Medellín foi cumprido. “Os Jogos Sul-americanos são para o Brasil o primeiro teste na preparação para os Jogos Pan-americanos e os Jogos Olímpicos. Estes Jogos serviram especialmente para dar experiência a jovens atletas e permitir ao COB e às Confederações Brasileiras avaliar e, sendo o caso, corrigir o planejamento visando ao Pan de Guadalajara 2011 e a Londres 2012″, explicou Bernard.

O Chefe da Missão Brasileira ressaltou que o segundo lugar no quadro geral de medalhas faz parte de uma lógica dos Jogos Sul-americanos. “Normalmente o país anfitrião disputa todas as modalidades do programa e tem mais atletas inscritos do que os outros países. Naturalmente isso permite maiores chances de conquistas de medalhas”, afirmou.

Como exemplo disso, em 2002 o Brasil venceu os Jogos Sul-americanos, que foram organizados nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Belém. Na ocasião os brasileiros encerraram os Jogos na primeira colocação com um total de 329 medalhas (146 de ouro, 94 de prata e 89 de bronze). Em 2006, em Buenos Aires e Mar Del Plata, a Argentina ficou com a primeira colocação nas medalhas de ouro, com 107 conquistas, além de 96 de prata e 89 de bronze, com um total de 292. O Brasil ficou em segundo lugar nas medalhas de ouro (97), porém teve mais medalhas no total (304). Agora, em Medellín, a Colômbia fez valer a condição de disputar os Jogos em casa e conquistou o primeiro lugar geral pela primeira vez.

Medellín 2010 entra para a história dos Jogos Sul-americanos pelo excelente nível de organização e das instalações esportivas, de padrão pan-americano, pelos legados sociais deixados para a cidade e pela elevação do patamar de organização do evento. Durante os 14 dias de competição, os Jogos reuniram o recorde de 3.637 atletas dos 15 países filiados à Organização Desportiva Sul-americana – ODESUR. A edição de 2014 está prevista para acontecer em Santiago, no Chile.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Boxe feminino estreia com 100% de aproveitamento e já sonha com Londres 2012!

domingo, 28 de março de 2010

Categoria recém incluída no Programa Olímpico, o boxe feminino fez sua estreia nos Jogos Sul-americanos Medellín 2010. E para o Brasil, as perspectivas são positivas. Neste sábado, dia 27, em Sabaneta, região metropolitana de Medellín, o país conquistou as três medalhas de ouro em disputa, finalizando sua participação, portanto com 100% de aproveitamento. Érika Matos, Adriana Araújo e Andréia Bandeira demonstraram superioridade sobre as argentinas, coicidentemente, adversárias nas três disputas finais. As vitórias expuseram uma vontade comum entre as três brasileiras: disputar os Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Os três combates foram amplamente dominado pelas pugilistas brasileiras. No primeiro, Érika Matos (-51kg) derrotou Paola Benvides por 22 a 10. Somente no primeiro round a brasileira teve dificuldades, tendo terminado empatado em 2 a 2. Porém, nos rounds seguintes, impôs um forte ritmo para vencer a luta. “Esse é o primeiro degrau para chegarmos nos Jogos Olímpicos. Este titulo é muito importante para o boxe feminino. Representar o Brasil em Londres será um sonho. Temos chances de conquistar uma medalha em 2012″, declarou.

Adriana Araújo (-60kg) superou Daiana Sanchez por 15 a 8. Com estilo agressivo e muita agilidade. A brasileira não deu chances para a adversária durante todo o combate. No segundo assalto, abriu a maior vantagem, 8 a 1. “Foi uma luta dificil. Mantive a tranqüilidade e usei minha experiência para vencer. Minha estratégia foi usar de movimentação e força para superar a altura dela. Disputar essa competição está sendo maravilhoso. Somos pioneiras. Temos possibilidades de conseguir trazer alguma medalha nos Jogos de Londres”, comemorou Adriana, que coloca como meta a curto prazo a participação no Campeonato Mundial.

A luta mais fácil da noite foi entre Andréia Bandeira e Celeste Peralta. A brasileira por pouco não ganha sem sofrer pontos da argentina. A adversária só foi pontuar no terceiro assalto. No fim, a vitória confirmou o 100% de aproveitamento das boxeadoras brasileiras em sua primeira participação nesta competição continental. “Esse resultado mostra que temos capacidade de lutar por medalhas nos Jogos Olímpicos. Espero que nosso desempenho possa abrir portas para que outras meninas pratiquem o boxe. Para mim, a entrada do boxe no Programa Olímpico é a realização de um sonho antigo. Sempre quis ser uma atleta olímpica. Ano passado assinaram o documento e agora vou fazer de tudo para realizar esse sonho. É um orgulho muito grande representar o Brasil”, afirmou.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Boxe encerra participação nos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 com mais sete medalhas!

domingo, 28 de março de 2010

O último dia de combates do torneio de boxe dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 rendeu mais quatro medalhas para o Brasil. Além das três medalhas de ouro e 100% de aproveitamento no feminino, os pugilistas brasileiros conquistaram, neste sábado, dia 28, mais quatro medalhas, sendo uma de ouro e três de prata. Outros quatro atletas ficaram com o bronze, já que perderam nas semifinais da competição.

A noite reservou combates entre brasileiros e colombianos em todas as quatro decisões em que o Brasil participou. O único vitorioso foi Myke Carvalho, que superou Miguel Escandon por 11 a 4. “Esse resultado não significa somente um título, mas sim uma vida de batalha e dedicação ao boxe. Estou neste esporte desde os 10 anos e integro a seleção há oito anos. Pretendo conseguir uma medalha olímpica e encerrar minha carreira”, declarou o paraense de 26 anos, que está avaliando se subirá de categoria.

Everton Lopes, quinto colocado nos Jogos Olímpicos de Pequim, subiu ao ringue para enfrentar César Villarraga como favorito. Porém, a luta foi polêmica devido a algumas interpretações da arbitragem. Num certo momento, Everton aplicou um potente golpe que derrubou o colombiano, mas os juizes não computaram pontos e ainda os deram para o colombiano, desestabilizando o baiano. “É complicado ter que lutar contra a arbitragem também. Batalhamos tanto para chegar até aqui e somos prejudicados desta forma. Fica difícil assim. Agora é levantar a cabeça e continuar trabalhando”, declarou. A luta terminou em 7 a 3 para o colombiano.

O outro confronto envolvendo brasileiros e colombianos foi entre Juliao Henrique Neto e Ceiver Ávila, que venceu por 13 a 6.

As medalhas de bronze foram conquistadas por Washington Silva, Yamaguchi Falcão, Marcelo Cruz e Esquiva Florentino

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Victoria, caçula no Mundial Paraolímpico, é bronze!

domingo, 28 de março de 2010

No dia em que as esperanças de medalhas estavam sobre o experiente Antônio Tenório, quem brilhou no Mundial Paraolímpico de Judô foi justamente a caçula da seleção brasileira, Victoria Santos de Almeida Silva. Com apenas 17 anos, ela conquistou, neste sábado, a medalha de bronze na categoria médio (até 70 quilos). Foi a terceira medalha da equipe feminina, que já conquistara a prata com a leve (até 57 quilos) Lúcia Teixeira e o bronze com a meio-médio (até 63 quilos) Daniele Bernardes Silva.

O tetracampeão olímpico Tenório, na meio-pesado (até 100 quilos), por sua vez, terminou em quinto lugar ao perder a decisão do bronze para o americano Myler Porter por ippon. Alexandre Ferreira, na pesado (mais de 100 quilos), ficou em nono, enquanto Deanne de Almeida, pesado (mais de 70 quilos) e Roberto Julian Santos Silva, na médio (até 90 quilos), perderam suas lutas.

Chamada carinhosamente de Totozinho por Tenório, Victoria estava surpresa com sua vitória, apesar de em São Paulo, uma semana antes do embarque, ela ter afirmado que estaria na Turquia para vencer.

“Depois que eu perdi a semifinal, nem eu sei muito como consegui voltar bem para a disputa do bronze, como encontrei maturidade para enfrentar esta situação”, disse Victoria, que mesmo na disputa do bronze teve frieza para superar um começo adverso e vencer a americana Cristella Garcia, que abrira uma vantagem de três yukos.

Na primeira luta, Victoria já mostrou toda a impetuosidade adolescente que lhe levou ao bronze. Ignorou a torcida local e partiu para cima da turca Güler Yur por ippon. Na luta seguinte a brasileira teve pela frente a mexicana Lenia Ruvulcaba, vice-campeã paraolímpica. Mostrou a mesma vontade, mas recebeu um contra-golpe e perdeu a chance de lutar pelo ouro.

Foi a terceira medalha do Brasil no Mundial, todas com a equipe feminina, que teve um ótimo desempenho, como apostara a comissão técnica.

“As meninas mostraram que estão bem e também merecem todo o apoio, e a Victoria, nosso Totozinho, está no caminho certo. Ainda vai nos dar muitas alegrias”, disse Tenório, revelando o apelido da caçula da equipe.

“Eu sempre falo com ele que quando crescer eu quero ser igual a ele. Espero que essa medalha seja a primeira de longa carreira na seleção paraolímpica”, disse Victoria.

Tenório começou bem sua caminhada para uma esperada medalha que não veio. Venceu por ippon suas duas primeiras lutas, contra o iraniano Hamed Alizadeh e contra o argelino Messaoud Nine. Na semifinal, o brasileiro chegou a conseguir um ippon contra o britânico Joe Ingran, que não foi validado porque os árbitros consideraram que o golpe fora aplicado fora da área de competição.

“Tem chegado muita gente nova e, infelizmente, não temos tantas competições internacionais para competir. Eu mesmo não participava de uma competição internacional desde 2008, e isso faz diferença. Podemos perder uma medalha por um detalhe, como aconteceu comigo na semifinal. Tem chegado muita gente nova nas competições. Esse britânico mesmo é um menino desconhecido”, disse Tenório, que contestou a decisão dos árbitros, considerando que começara o golpe dentro da área de luta.

O último dia de competições está reservado para a disputa por equipes e para a categoria feminina para atletas com mais de 78 quilos, com a participação novamente de Deanne Almeida, medalha de prata em Pequim. Como o Mundial conta pontos para o ranking que classifica para os Jogos Paraolímpicos de Londres, a organização fez três disputas para atletas acima de 70 quilos. Uma para todas as atletas com mais de 70 quilos, que conta pontos para o ranking, dividindo também as competidoras entre mais duas categorias, até 78 quilos e mais de 78 quilos. Assim, a brasileira, que ontem perdeu logo na estreia para a chinesa Yapping Yuan, que a derrotara na final Paraolímpica, tem mais uma chance de medalha neste domingo.

Fonte: CPB\Diogo Mourã0

Saudações Paraolímpicas!

Sebástian Pereira

Nova geração segue brilhando na Europa!

domingo, 28 de março de 2010

Os atletas da categoria de base brasileira seguem brilhando na Europa. No torneio de Coimbra, em Portugal, foram cinco medalhas da nova geração sub-20, sendo três de ouro. Foram campeãs Agueda Silva (-44kg), Nathalia Brigida (-48kg) e Rafaela silva (-57kg). Já Eleudis Valentim (-52kg) e Daniel sousa (+100kg) foram bronze.

Enquanto isso, em Kaiserslautern, a equipe sub-17 está alojada em um internato, dentro da escola de elite da cidade.

“Está tudo bem e acontecendo como planejado. O alojamento é confortável e está nos atendendo perfeitamente. É no mesmo local onde nos alimentamos e treinamos, quando estamos em Kaiserslautern”, diz Kenji Saito, assistente técnico da equipe.

Neste sábado, a equipe disputou uma competição na cidade de Entfernung Daun. O resultado? todos os judocas foram campeões. Lais Lessa, Nathália Mercadante, Alexia Castilhos, Beatriz Nery, Beatriz Oliveira, Sibilla Faccholli, Leonardo Tavares, Alessandro MAchado, Nicolas Santos, Ricardo Santos, Gustavo Assis, Eduardo Goncalves, Gabriel Souza e Tiago Bastos. Flávia Rodrigues não lutou devido uma lesão no ombro esquerdo e Flávia Gomes está em Coimbra com a equipe sub-20.

“A experiencia que nossos atletas estao tendo está sendo excelente e fundamental para o desenvolvimento competitivo de nível internacional”, diz Fulvio Miyata, técnico da equipe masculina.

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Brasil fatura bronzes no Mundial Paraolímpico!

sexta-feira, 26 de março de 2010

O Brasil conquistou duas medalhas no segundo dia de competições do Mundial Paraolímpico de Judô, que está sendo disputado em Antalya, na Turquia. Lúcia Teixeira, na categoria leve, ficou com a prata, enquanto Daniele Bernardes da Silva, na meio-médio, terminou com o bronze,  nesta sexta-feira. No masculino, Magno Gomes, da leve (até 73 quilos) e Denis Rosa, da meio-médio ficaram em nono lugar.

Se Daniele, com duas medalhas de bronze em Paraolimpíadas estava cotada para o pódio, Lúcia surpreendeu ao vencer por ippon logo na estreia a chinesa Qian Zhou. Na semifinal, a brasileira ganhou da turca Duygu Cete, também por ippon. Na final, Lúcia foi imobilizada e perdeu por ippon para Afag Sultanova, do Azerbaijão. A curiosidade da conquista de Lúcia e Daniele é que as duas trocaram de categoria justamente para a competição:

“Deu certo, né? Acho que a mudança também surpreendeu as adversárias, que vieram para cá esperando enfrentar a Dani e tinham estudado o estilo dela. Eu me sentia muito leve na categoria até 63 quilos e a Dani tinha dificuldades na 57 quilos, conversamos e decidimos fazer a mudança”, disse Lúcia, dedicando o título a muita gente, mas principalmente à filha Ana Clara, de dois anos.

Daniele só enfrentou lutas duras até chegar à semifinal, quando perdeu por um detalhe para a chinesa Tong Zhou, por ippon. Na estreia, contra a americana Jordan Mouton, uma chave de braço lhe garantiu a vitória por ippon. Na luta seguinte, porém, a cubana Dalidaivis Rodriguez ameaçou até o final, mas a brasileira soube segurar a vantagem de um wazari. Após a derrota para a chinesa, Daniele saiu chorando do tatame, mas buscou forças para reagir:

“Na hora fiquei chateada, com raiva mesmo, mas eu não tinha vindo aqui para perder. Eu vim para ganhar e queria muito este bronze”, disse Dani, que tem na carreira dois bronzes em paraolimpíadas, em Pequim e Atenas. “Antes do Mundial ainda brinquei que estava cansado de bronze, mas estou adorando ter conquistado mais um para a minha coleção, na primeira vez que eu disputo um Mundial”, comemorou a judoca brasileira, que venceu a finlandesa Paivi Tolppanen na disputa pela medalha.

Depois de um primeiro dia em que os resultados ficaram abaixo do esperado, a comissão técnica comemorou não apenas as medalhas, mas mesmo a colocação dos homens.

“Foi muito bom. As duas medalhas coroam um trabalho de muita dedicação, mas mesmo o resultado dos meninos deve ser comemorado. São duas categorias muito disputadas e em Pequim não conseguimos levar nenhum atleta. Agora já marcamos pontos no ranking”, disse Jaime Bragança, lembrando que nas Paraolimpíadas de Londres serão apenas dez vagas no masculino, pois as outras duas serão reservadas para o país anfitrião e para o continente africano.

O Brasil também tem muitas chances de medalha neste sábado. Será a vez do tetracampeão paraolímpico e único brasileiro com o título do Campeonato Mundial de Judô, Antônio Tenório, na categoria meio-pesado (até 100 quilos), de Roberto Julian Santos Silva, na médio (até 90 quilos) e Alexandre Ferreira da Silva, na pesado (acima de 100 quilos) no masculino. No feminino, a caçula da delegação, Victoria Santos de Almeida Silva, de apenas 17 anos, estreia na categoria médio (até 70 quilos), assim como a pesado Deanne de Almeida, prata em Pequim.

Fonte: Site da CBJ

Saudações Paraolímpicas!

Sebástian Pereira

Lutas se despede dos Jogos com mais seis medalhas, sendo uma de ouro de Antoine.

sexta-feira, 26 de março de 2010

A equipe de lutas do Brasil se despediu dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 com a conquista de mais seis medalhas. A principal conquista coube a Antoine Jaoude (até 120Kg), que obteve a medalha de ouro após vencer na última luta o argentino Sandro Lopez.

Além do ouro de Antoine, os brasileiros garantiram uma medalha de prata, com Diego Rodrigues (até 96Kg) e três de bronze, com Daniel Malvino (até 74Kg), Adrian Jaoude (até 84Kg) e Raoni Barcelos (até 106Kg).

O Brasil encerra sua participação com um total de 12 medalhas: 1 de ouro, 2 de prata e 9 de bronze.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

“Golias” do judô brasileiro conquista a medalha de ouro na categoria livre.

domingo, 21 de março de 2010

A cena chega a ser no mínimo curiosa. Na final da categoria Open do judô dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010, realizada neste domingo, dia 21, o paranaense Rafael Silva, de 22 anos e 2,05m, derrotou o peruano German Correa, de apenas 1,70m. O confronto ocorre na categoria onde um judoca de cada país é indicado por sua delegação para competir, independente de seu peso. Rafael não tomou conhecimento do adversário e, numa verdadeira batalha entre Davi e Golias, impôs sua força, superando o adversário com um Ippon.
O atleta, que também integra a equipe do Exército Brasileiro, que se prepara para os Jogos Mundiais Militares, mostrou-se satisfeito com seu desempenho. “É uma honra ser indicado para competir pela Open. Saio dos Jogos com duas medalhas de ouro e todas as vitórias por Ippon”, comemorou o gigante, que anteriormente já havia vencido em sua categoria, a pesado (+100kg).
Nas outras disputas de medalhas do dia, na categoria até 48 kg, Daniela Polzin ficou com a prata ao ser derrotada pela Argentina Paula Pareto. Daniela sentiu-se mal durante a luta e viu sua performance diminuir, dando chances para a oponente lhe aplicar um golpe vencedor. Catiere Toledo, com mais um Ippon, derrotou a chilena Antonieta Manque e chegou à medalha de prata na categoria até 44kg. No masculino, Ricardo Ayres (-60kg) perdeu a disputa da medalha de bronze para o venezuelano Javier Guedez.

Fonte: Site do COB

Saudações olímpicas!

Sebástian Pereira

Ketleyn Quadros e Andressa Fernandes faturam mais dois ouros para o judô!

sábado, 20 de março de 2010

O segundo dia de disputas do judô dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 confirmou uma tendência que há muito tempo já vem saltando aos olhos do público: a força das judocas brasileiras. Neste sábado, no Coliseu de Combate, Ketleyn Quadros (-57kg) e Andressa Fernandes (-52kg) conquistaram os dois ouros do dia para o país na modalidade. O Brasil obteve ainda uma medalha de prata, com Luis Ricardo Cevite (-66kg), e três de bronze, com Bruno Mendonça (-73kg), Rodrigo Luna (-63kg) e Laisa Santana (-63kg), mais uma representante do esquadrão feminino, completando as conquistas do dia nos tatames colombianos.
Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Pequim 2008, a brasilense Ketleyn Quadros, derrotou a Argentina Melissa Rodrigues na final continental. A atleta destacou a dificuldade da competição e manteve o pé no chão ao ser questionada se considerava-se um ícone do judô feminino. “O judô é o esporte individual mais coletivo que conheço. Não conseguiria alcançar tudo que tenho hoje sem ajuda das minhas companheiras de treinamento e toda a estrutura que está por trás do atletas. É claro que torço para o Brasil se sair bem como um todo, mas ver o judô femininino evoluir desta forma me orgulha muito. É um trabalho muito árduo, mas estamos demonstrando que temos potencial”, declarou.
Com apenas 23 anos, Andressa Fernandes estava “engasgada”. “Essa é a minha terceira participação em Jogos Sul-americanos e sempre bati na trave, ficando com a medalha de prata. Precisava deste ouro. Estou me sentindo bem, numa crescente. Acredito que o judô feminino está se profissionalizando cada vez mais”, afirmou Andressa, que ressaltou a importância das competições internacionais para o desenvolvimento da modalidade entre as mulheres. Andressa venceu na final a venezuelana Wisneby Fernandes.
As outras medalhas do Brasil foram conquistadas por Luis Ricardo Revite, prata após derrota para Ricardo Valderrama, da Venezuela; Laisa Santana, bronze, ao derrotar a equatoriana Joselin Plaza; Bruno Mendonça, bronze, ao suplantar o colombiano Derian Giraldo; e Rodrigo Luna, que venceu o chileno Luis Diaz.
O judô dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 acontece até o dia 22.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Judô brasileiro conquista sete medalhas no primeiro dia de disputa nos tatames em Medellín 2010!

sábado, 20 de março de 2010

O judô brasileiro terminou o primeiro dia de disputas nos tatames do Coliseo de Combate do Complexo Esportivo Atanasio Girardot com sete medalhas (três de ouro, uma de prata e três de bronze). Nesta sexta-feira, dia 19, os judocas foram responsáveis pela conquista da primeira medalha de ouro para o Brasil na competição, com Luis Alberto dos Santos e Rioiti Uchida na apresentação de Katame – No – Kata (técnica de solo). Além da dupla, Rafael Siva (+100kg) e Leonardo Leite (-100kg) também venceram seus combates e ficaram como o ouro em suas categorias. Luis Alberto dos Santos e Rioiti Uchida também conquistaram a prata no Nague – No – Kata (técnica de projeção); enquanto que Eduardo Santos (-90kg), Priscila Marques (+78kg) e Glaucia Lima (-70kg), ganharam medalhas de bronze.

Bicampeão das Olimpíadas Universitárias, Rafael Silva, de apenas 22 anos, comemorou o título com a certeza de que está trilhando o caminho certo para alcançar o sonho de disputar os Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 e os Jogos Olímpicos Londres 2012. A vitória, por ippon, sobre o colombiano Luis Salazar não deixou dúvidas sobre a sua atuação. “Estou apenas começando a minha carreira internacional, mas acho que tenho condições de lutar por uma vaga em Guadalajara 2011 e Londres 2012. Venho evoluindo degrau por degrau. Agora é fazer um bom Grand Slam, no Rio e depois competir bem em Lisboa e Madri, em junho”, garante Rafael, ansioso pelas disputas importantes dos próximos meses. Para ele, Medellín 2010 representou uma excelente etapa de treinamento. “Os países sul-americanos estão evoluindo a cada competição. Por isso, devemos estar sempre bem preparados para nos mantermos acima dos demais”, completou.

Diferente de Rafael, o experiente Leonardo Leite, de 31 anos, que venceu o também colombiano Camilo Avila (por ippon), procura consolidar sua carreira na Seleção Brasileira e também pretende utilizar as competições internacionais do calendário de 2010 visando aos Jogos Pan-americanos e Olímpicos no Ciclo, que se encerra em 2012.

“Temos várias disputas importantes pela frente. Grand Slam no Rio de Janeiro; Copa do Mundo em São Paulo; além de torneios na Espanha, em Portugal e na Rússia. Já estou bem rankeado, mas vou treinar forte e darei o máximo para somar o maior número de pontos e melhorar a minha posição no ranking”, revelou Leonardo, que tem como companheiro de Seleção o campeão mundial Luciano Cabral, na mesma categoria.

Primeira medalha de ouro – A conquista da dupla formada por Luis Alberto dos Santos e Rioiti Uchida, que superou os colombianos Luis Gabriel Cuartas e Gatenferd Ramirez (145 a 140), no Katame – No – Kata (técnica de solo) marcou o início da trajetória do Time Brasil em busca da hegemonia esportiva no continente sul-americano.

O judô dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 acontece até o dia 22.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira