Arquivo de maio de 2010

Grand Slam de Judô – Rio de Janeiro

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Pessoal,

Estarei narrando as finais do Grand Slam de Judô que será realizado no Maracanãzinho, neste fim de semana, dias 22 e 23 de maio de 2010, no canal a cabo SPORTV.

Apartir de 16:30hs no sábado e 16:00hs no domingo, estaremos ao vivo no canal SPORTV 2.

Nos vemos lá.

Boa sorte, Brasil!

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

David Laurêncio da Costa faz história com o primeiro título mundial de boxe olímpico para o Brasil.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Brasil conquistou seu primeiro título mundial de boxe olímpico na história. David Laurêncio da Costa derrotou Ahmad Mamadjanov, do Uzbequistão, na manhã segunda-feira,dia 03/05/2010, e ganhou o ouro no Campeonato Mundial Juvenil realizado em Baku, no Azerbaijão. O meio médio venceu na final da categoria 69 kg por 4:2.

O boxeador paulista de 18 anos chegou à decisão depois de uma vitória sobre o alemão Denis Robert Radovan neste domingo. David já havia assegurado lugar na história do boxe olímpico brasileiro por ter chegado à final da competição, fato também inédito.

Em sua trajetória para ganhar a medalha de ouro, o brasileiro também venceu o irlandês Christopher Neil Blaney e Nursahat Pazziyev, do Turcomenistão.

Parabéns a Confederação Brasileira de Boxe pelo excelente trabalho.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Time Rio terá Natália Falavigna e Nivalter Santos treinando na cidade.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Time Rio, projeto de investimento da Prefeitura do Rio com apoio do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para preparação de atletas com potencial de medalhas visando aos Jogos Olímpicos de Londres 2012, ganhou mais dois importantes integrantes: a lutadora de taekwondo Natália Falavigna, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, e o canoísta Nivalter Santos, primeiro brasileiro a conquistar uma etapa da Copa do Mundo de Canoagem (Hungria, em 2009). A informação foi transmitida pelo superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, durante o Seminário de Desenvolvimento Esportivo organizado pelo COB nesta quarta-feira, dia 12.

“Natália Falavigna e Nivalter Santos passarão a treinar no Rio de Janeiro nos próximos meses. Natália utilizará as instalações do Parque Aquático Maria Lenk, fazendo do taekwondo a primeira modalidade a ser posta em prática no Centro de Desenvolvimento de Talentos que estamos estruturando no Maria Lenk e no Velódromo do Rio”, informou Marcus Vinícius Freire, acrescentando que o Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, oficializou na noite da terça-feira, dia 11, a liberação de R$ 12 milhões para o investimento no Time Rio até 2012.

Atualmente, Natália treina em Londrina (PR), e Nivalter em São Vicente (SP). Além dos dois atletas, Diego Hypólito (ginástica artística), Ricardo Winicki (vela), Kaio Marcio (natação) e Barbara Leôncio (atletismo) já fazem parte do Time Rio. Novos nomes serão anunciados em breve para integrar a equipe, que terá de 10 a 13 atletas. O COB espera que outras prefeituras se associem ao Programa de Apoio ao Time Brasil, nos mesmos moldes do Time Rio.

O COB atuará na coordenação da parte técnica do projeto, em parceria com as Confederações Brasileiras Olímpicas e as demais entidades esportivas aos quais os atletas estão ligados. Além disso, o COB fará o gerenciamento financeiro das ações. Uma das características da iniciativa é a preocupação com a estrutura que cerca o atleta de alto rendimento. Por isso, o Time Rio dará atenção especial ao pagamento de salário de treinadores, nutricionistas e médicos, além de compra de materiais e equipamentos para a prática do esporte e logística para viagens e competições. Tudo para que o atleta tenha tranqüilidade para treinar e alcançar seu melhor desempenho nas competições. “Este programa é todo voltado para o atleta, que não precisará abrir mão de seus patrocínios ou dos apoios que já recebe, pois os objetivos não são conflitantes. Na verdade, trata-se de um complemento à preparação que ele já executa”, explica o superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Tiro com arco inaugura CT em Maricá com apoio dos recursos da Lei Agnelo/Piva.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Um esporte antes visto como de elite, justamente porque uma flecha profissional em média custa de 30 a 50 dólares e um arco profissional entre 800 a 2 mil dólares, agora está começando a se popularizar no País. Graças à metodologia implantada pela Confederação Brasileira de Tiro com Arco (CBTArco), que, neste sábado, dia 15 de maio, inaugurou o seu Centro de Treinamento, em Maricá, Região Metropolitana do Rio, e com o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro, que repassou a entidade verbas da Lei Agnelo / Piva para a construção do CT. Os presidentes da CBTArco e do COB, respectivamente, Vicente Fernando Blumenschein e Carlos Arthur Nuzman, estavam visivelmente emocionados com este pontapé inicial para a evolução do esporte no Brasil. Esteve presente também ao evento o prefeito de Maricá Washington Siqueira Quaquá.

“Este Centro de Treinamento vem a estimular o esporte no País e os resultados virão normalmente, pois teremos toda a estrutura aqui para nossos atletas. Até já temos um técnico de ponta”, afirma Nuzman, referindo-se ao sul-coreano Lim Heesk, de 42 anos, e que ainda se aventurou a dar uns tiros: “Realmente, é preciso muita concentração e preparo físico”, ressaltou o presidente do COB.

No seu discurso, o presidente da CBTArco, Vicente Fernando Blumenschein, fez questão de enfatizar que o Centro de Treinamento de Maricá servirá como referência da Federação de Tiro com Arco (Fita) na América do Sul: “Todos os técnicos de outros países poderão vir até Maricá para treinar e aprimorar as suas técnicas. Isso também foi uma grande conquista nossa”, revelou Blumenschein, lembrando que o CT tem condições de sediar competições internacionais, além de Sul-Americano.

O CT tem capacidade para abrigar 24 atletas. Futuramente, as instalações chegarão a 40 leitos, com sala de musculação, piscina e sala de estar. São 24 mil m² de área e já foram investidos R$ 320 mil. “Essa estrutura toda é justamente para podermos reunir adequadamente a Seleção Brasileira em épocas de competições”, explicou Eros Fauni, diretor-técnico da CBTArco.

Projeto social

Em Maricá, também está funcionando a todo vapor um projeto social com crianças e jovens de baixa renda, com idades entre 11 e 17 anos. Com o CT dando condições para o aprimoramento dos alunos, além dos atletas, o presidente Vicente Fernando Blumenschein já vislumbra melhores resultados a partir dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e Rio, em 2016. “Esperamos ficar entre os 16 melhores do mundo. Já em 2016, vamos sonhar com uma medalha olímpica”, frisa o presidente.

No projeto-escola, todo o material é cedido aos alunos e os que atingirem melhores resultados serão federados e preparados, ainda este ano, para começar a disputar competições de níveis estadual e brasileiro. “Isso aqui é a minha vida. Sou apaixonado pelo o que faço e o meu sonho está se realizando. O esporte é uma maneira também de educar as crianças e, futuramente, poderemos formar grandes cidadãos”, vibra Dirma Miranda dos Santos, 17 vezes campeã brasileira e coordenadora do projeto.

Eros Fauni lembra que um bom exemplo de que o Tiro com Arco só traz benefícios para as crianças e os jovens é a Coréia do Sul. Lá, o esporte faz parte da grade curricular, porque requer concentração, tendo sido comprovado que isso interfere positivamente nos estudos.

Em Maricá, alguns alunos que eram tidos como “terríveis” em comportamento, além de tirar notas ruins, já tiveram melhoras consideráveis. Tudo isso comprovado pelas professoras e diretoras das escolas. Elas garantem que os alunos recuperaram a auto-estima, disciplina e concentração. É uma prova de que a receita esporte-educação dá certo.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Grand Slam do Rio de Janeiro terá 390 judocas de 42 países.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Grand Slam do Rio de Janeiro, que acontecerá no Maracanãzinho neste fim de semana (22 e 23 de maio), será o maior evento da modalidade no país desde o Campeonato Mundial de 2007, também na Cidade Maravilhosa. O número de inscritos chegou à marca de 390 judocas de 42 países, entre eles as maiores potências, como Japão, França, Rússia e Holanda. Em 2009, foram 200 atletas de 25 nações.

O Grand Slam do Rio de Janeiro é o primeiro evento desta categoria a distribuir pontos que definirão as vagas para os Jogos Olímpicos Londres 2012. O Brasil será representado por 56 atletas, entre eles medalhistas olímpicos e mundiais. Em Grand Slams, os países podem inscrever até dois atletas por categoria, sendo que o Brasil, como país sede, tem direito a quatro vagas. A medalha de ouro vale 300 pontos no ranking, a prata 180 e o bronze 120. Em 2009, a seleção brasileira subiu dez vezes no pódio no Grand Slam do Rio, onde foram conquistadas uma medalha de ouro, quatro de prata e cinco de bronze.

O medalhista olímpico Tiago Camilo, ouro no Mundial 2007 no Rio e também campeão nos Jogos Pan-Americanos Rio 2007, comemora lutar mais uma vez em solo carioca.

“Lutar no Brasil sempre me dá ótimas lembranças. Foram muitas competições, mas, com certeza, o Mundial e o Pan são especiais. Começar o ranqueamento olímpico lutando em casa sem dúvida gera uma motivação e uma energia muito maior. Fiz um ótimo trabalho nesse começo de ano, mesmo voltando de contusões e estou me sentindo muito preparado. Não vejo a hora de subir no tatame”, disse Tiago Camilo.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Wanderley Teixeira, o número expressivo de países inscritos é uma prova do reconhecimento com a organização.

“O Brasil ter realizado um evento considerado o mais bem organizado pela Federação Internacional é um fator positivo para que os países venham participar. E também, sem dúvida, valer pontos para o ranqueamento olímpico faz do Grand Slam do Rio um grande atrativo”, comentou Paulo Wanderley.

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

 

Lançadas as mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Londres 2012.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

As mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Londres 2012 foram lançadas nesta quarta-feira, dia 19, pelo Comitê Organizador do evento. Wenlock, dos Jogos Olímpicos, e Mandeville, dos Jogos Paraolímpicos, foram criadas a partir das últimas gotas de aço que sobraram da construção da viga de apoio do Estádio Olímpico da cidade.

Os nomes das mascotes refletem a rica história olímpica e paraolímpica do Reino Unido. Wenlock é inspirado em um condado da Inglaterra chamado Shropshire. A cidade é o coração da história olímpica, onde o Barão Pierre de Coubertin se inspirou para fundar o Movimento Olímpico moderno, após assistir a um evento de competições esportivas inspirado nos Jogos Olímpicos da Grécia Antiga. O formato da cabeça de Wenlock se baseia no telhado do Estádio Olímpico e os três pontos representam os lugares do pódio, onde os atletas receberão suas medalhas.

Já o nome Mandeville foi baseado na cidade Stoke Mandeville, o berço dos Jogos Paraolímpicos. O local promovia competições entre soldados que voltaram lesionados da Segunda Guerra Mundial. A mascote tem três pontas na cabeça que representam as três partes do emblema Paraolímpico. O rabo e as mãos são aerodinâmicos, pois ela está sempre em movimento tentando bater seu recorde pessoal.

Por serem de metal, as mascotes brilham e refletem imagens das pessoas, dos lugares e de coisas que encontrarão no caminho de sua viagem por todo o Reino Unido. As luzes em suas cabeças representam os táxis pretos de Londres e seus olhos são lentes de câmeras que capturam tudo o que veem.

Um filme de animação, baseado numa história infantil, mostra como as mascotes foram trazidos para a vida e são capazes de refletir e se adaptar ao seu ambiente.

As mascotes seguirão caminhos separados, para cruzar e conhecer pessoas de todo o país. Para saber aonde elas irão, um concurso escolar nacional foi lançado para determinar as viagens de Wenlock e Mandeville.

Mais informações no site do COB.

www.cob.org.br

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Acordo entre COB, Federação Internacional de Boxe e Confederação Brasileira de Boxe privilegiará formação de jovens pugilistas.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

A seis anos dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a comunidade esportiva brasileira já começa a receber os primeiros legados sociais e esportivos proporcionados pelo evento. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a Federação Internacional de Boxe (AIBA) e a Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) assinaram nesta quinta-feira, dia 20, no Rio de Janeiro, acordo de cooperação para a criação de um Centro de Treinamento Internacional de Boxe para atender cerca de 100 jovens atletas, a partir dos 12 anos, nas instalações do Parque Aquático Maria Lenk. Além da oportunidade de treinar a modalidade com especialistas estrangeiros, os jovens receberão aulas de inglês, espanhol e informática.

Participaram da assinatura do acordo o presidente da AIBA, Ching-Ku Wu, de Taipé, o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, o presidente da CBBoxe, Mauro José da Silva, e o superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire. “Tenho certeza de que esta é a abertura das portas para o surgimento de um novo boxe brasileiro, um esporte que pode servir de exemplo para a juventude brasileira. Nós vamos nos lembrar deste dia durante a realização dos Jogos Olímpicos Rio 2016″, disse Carlos Arthur Nuzman.

Pelo acordo, a AIBA cederá equipamentos (ringues, luvas, protetores e sacos), técnicos e instrutores estrangeiros para o primeiro Centro de Treinamento Internacional de Boxe. O Comitê Olímpico Brasileiro cederá 250m² do Maria Lenk, além da manutenção do local e cursos de inglês, espanhol e informática. A Confederação Brasileira de Boxe ficará responsável pela seleção dos jovens atletas por todo o Brasil e pela contratação dos treinadores e auxiliares brasileiros.

“Estamos muito satisfeitos em criar este projeto na América do Sul, uma vez que nosso objetivo é desenvolver o boxe no mundo todo. O Brasil tem um tremendo potencial para desenvolver a modalidade”, disse o presidente da AIBA, Ching-Ku Wu, membro do Comitê Olímpico Internacional, acrescentando que os pugilistas que se destacarem no projeto poderão ser enviados para a Academia Internacional de Boxe da AIBA, no Canadá. “Alguns desses cem atletas podem vir a se tornar medalhistas nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Porém, o que considero mais importante no projeto é seu aspecto social. Esses jovens terão a oportunidade de construir uma nova vida através do esporte”, afirmou Ching-Ku.

O prazo para a chegada do material adquirido pela AIBA é de 90 dias. Durante este período, o COB irá estruturar o Parque Aquático Maria Lenk e a CBBoxe selecionará os jovens participantes, que podem ser meninos ou meninas, com a ajuda das Federações Estaduais da modalidade. “Em um primeiro momento vamos trabalhar com cerca de 10 jovens do Rio de Janeiro durante a estruturação do Centro de Treinamento. Depois vamos trazer atletas de todo o Brasil”, explicou Mauro Silva, presidente da CBBoxe.

O superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, informou que posteriormente o Centro de Treinamento de Boxe será transferido para um ginásio a ser construído para os Jogos Olímpicos Rio 2016, dentro do Complexo do Autódromo e que futuramente abrigará o Centro Olímpico de Treinamento do COB. “Tenho certeza de que este se tornará um centro de referência da modalidade na América do Sul”, afirmou Marcus Vinícius.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira