Arquivo de setembro de 2010

Brasil em terceiro lugar de 111 países por medalhas conquistadas!

domingo, 12 de setembro de 2010

** CAMPANHA NO MUNDIAL DE TÓQUIO 2010:

 Masculino:

 81kg: Leandro Guilheiro – prata

 66kg: Leandro Cunha – prata

 +100kg: Rafael Silva – 5o lugar

 81kg: Flávio Canto – 5o lugar

 90kg: Tiago Camilo – 7o lugar

 Feminino:

 78kg: Mayra Aguiar – prata

 48kg: Sarah Menezes – bronze

 52kg: Erika Miranda – 5o lugar

 ** BRASIL EM MUNDIAIS:

23 MEDALHAS 4 OUROS / 5 PRATAS / 14 BRONZES

1971 (Ludwigshafen/GER): Chiaki Ishii (-93kg/bronze)

1979 (Paris/FRA): Walter Carmona (-86kg/bronze)

1987 (Essen /GER): Aurélio Miguel (-95kg/bronze)

1993 (Hamilton/CAN): Aurélio Miguel (-95kg/prata) e Rogério Sampaio (leve/bronze)

1995 (Tóquio/JPN): Danielle Zangrando (-56kg/bronze), Sebástian Pereira (-71kg / 5°Lugar), Flávio Canto (-78kg/5°Lugar)

1997 (Paris/FRA): Aurélio Miguel (-95kg/prata), Edinanci Silva (- 72kg/bronze) e Fúlvio Myata (-60kg/bronze)

1999 (Birmingham/GBR): Sebastian Pereira (-73kg/bronze)

2003 (Osaka/JPN): Mario Sabino (-100kg/bronze), Edinanci Silva (- 78kg/bronze) e Carlos Honorato (-90kg/bronze) 

2005 (Cairo/EGY): João Derly (-66kg/ouro) e Luciano Corrêa (- 100kg/bronze)

2007 (Rio de Janeiro/BRA): João Derly (-66kg/ouro), Tiago Camilo (- 81kg/ouro), Luciano Correa (-100kg/ouro) e João Gabriel Schilittler (+100kg/bronze).

2010 (Tóquio/JPN): Mayra Aguiar (-78kg/prata), Leandro Guilheiro (-81kg/prata), Leandro Cunha (-66kg/prata), Sarah Menezes (-48kg/bronze)

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

domingo, 12 de setembro de 2010

Leandro Cunha e Sarah Menezes conquistaram mais duas medalhas para o Brasil no Campeonato Mundial de Judô, que está sendo realizado em Tóquio. O meio-leve foi medalha de prata enquanto a peso ligeiro ficou com o bronze na competição. Ainda faltando as disputas no Absoluto nesta segunda-feira, em que terá três atletas (Walter Santos, Rafael Silva e Luciano Correa), a seleção brasileira já igualou seu recorde de participação em finais em um Mundial (três no Rio de Janeiro 2007) e também o recorde de medalhas em uma edição da competição (quatro no Rio 2007). Além disso, essa foi a melhor participação feminina em Mundiais com uma prata e um bronze. No total o Brasil conquistou três pratas (Mayra Aguiar/78kg, Leandro Guilheiro/81kg e Leandro Cunha/66kg), um bronze (Sarah Menezes/48kg) e três quintos lugares (Rafael Silva/+100kg, Flavio Canto/81kg e Erika Miranda/52kg), além do sétimo lugar de Tiago Camilo/90kg. Em número de  medalhas conquistadas, o Brasil aparece em terceiro lugar entre 111 países atrás apenas de Japão, com uma campanha avassaladora de 18 medalhas (8/4/6) e França com cinco (dois ouros e três bronzes).

“Mostramos que temos uma equipe bem homogênea. Apesar de serem resultados individuais, essas medalhas são fruto do conjunto, da união da equipe”, diz o coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson. “Sem dúvida foi um Mundial muito bom em função da dificuldade da competição sem repescagem e com um recorde de participantes, com dois judocas por país. Ainda assim poderíamos até ter ido melhor, foi questão de detalhe. Estamos no caminho certo e nossa equipe jovem mostrou o enorme potencial que tem”, acrescentou.

Depois de um começo promissor com as medalhas de Mayra Aguiar e Leandro Guilheiro nos primeiros dias, o Brasil subiu ao pódio novamente com a jovem Sarah Menezes, de 20 anos e de Leandro Cunha, que apesar dos seus 29 anos, como Sarah disputava apenas seu segundo Mundial.

“Foi a vitória da perseverança. Não tenho nem palavras para falar dessa conquista”, disse emocionado o judoca do clube Pinheiros/SP. “Essa medalha de prata me motiva ainda mais a continuar treinando em busca de um bom resultado nas Olimpíadas. Marquei pontos importantes para o ranking mundial e espero estar ainda mais forte no ano que vem”, disse Coxinha que, antes da decisão, recebeu o apoio dos medalhistas olímpicos Flávio Canto, Leandro Guilheiro e Tiago Camilo na área de aquecimento.

Reserva do medalhista olímpico Henrique Guimarães até 2004 e depois do bicampeão mundial João Derly entre 2005-2008, Coxinha viveu um grande momento na carreira em 2007, ao ser prata no Torneio de Paris (hoje Grand Slam de Paris) e ouro na Copa do Mundo de Budapeste. Mesmo assim só veio disputar seu primeiro Mundial no ano passado em Roterdã.

“O tempo faz a gente amadurecer e refletir”, pondera o meio-leve, que esse ano, porém, fez uma temporada tímida devido a uma lesão no joelho. “Agradeço à comissão técnica por ter apostando em mim e me convocado mais uma vez”, completa Coxinha, que comemorou a vitória sobre o vice-campeão mundial Sugoi Uriarte (ESP) com um embala neném.

A notícia da gravidez de quatro meses de sua mulher Flávia foi dada assim aos companheiros de equipe.

“Guardei para falar na hora certa. Estou duplamente feliz”, diz Coxinha, cuja final foi contra o campeão mundial júnior de 2009 Junpei Morishita (JPN).

Já a bicampeã mundial júnior Sarah Menezes aparecia como uma das favoritas ao pódio no ligeiro. Cabeça de chave da competição, a piauiense já havia conquistado o quinto lugar em seu primeiro mundial sênior em 2009. Dessa vez, porém, não deixou a medalha escapar.

“É maravilhoso! Lutei muito e tenho certeza de que fiz o possível e o impossível para merecer essa medalha hoje”, disse a atleta da Academia Expedito Falcão/PI. “Meu sonho ainda é uma medalha olímpica e tenho certeza de que se continuar desta maneira posso torná-lo realidade”, completou.

Na semifinal, uma luta eletrizante contra a campeã mundial e líder do ranking mundial Tomoko Fukumi/JPN foi até o último segundo, só decidida pelos árbitros após o tempo normal e prorrogação: 3 a 0 para a japonesa.

“Perdi no fôlego pois ela se mexe muito e parece incansável. Usei toda minha energia para tentar vencer e consegui encaixar alguns golpes. Foi uma boa luta”, avaliou Sarinha.

Já contra a vice-campeã olímpica e multi-medalhista mundial Frederique Jossinet (FRA) na disputa do bronze, um duelo de gerações em que a juventude venceu a experiência (a francesa tem 35 anos).

“Já tinha treinado bastante com ela e sabia exatamente o que fazer. Foi só acontecer o momento certo”, afirmou a piauiense.

Com sorriso no rosto e a bela medalha com a imagem de Jigoro Kano no pescoço, Sarah Menezes vibrava por ter conquistado seu primeiro pódio em Mundial Sênior no berço do judô.

“É muito bom vencer aqui. Foi um mundial muito duro, com dois judocas por pais. Sem dúvida quem subiu ao pódio aqui tem chance de ir bem nas Olimpíadas”, avalia a ligeiro.

No meio-leve, Erika Miranda também fez boa campanha, mas acabou repetindo o quinto lugar conquistado por ela mesma no Mundial do Rio de Janeiro em 2007. A atleta do Minas Tênis Clube foi derrotada pela russa campeã européia de 2010 Natalia Kuzyutina. O outro brasileiro em ação no dia, Felipe Kitadai (ligeiro) perdeu na segunda rodada para o vice-campeão olímpico e mundial Ludwig Paischer (AUT).

Manoela Penna, de Tóquio

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Banco de imagens é um dos trunfos da seleção brasileira!

domingo, 12 de setembro de 2010

Um trabalho silencioso e muito importante é uma poderosa arma à serviço dos judocas da seleção brasileira. O carioca Leonardo Mataruna é o estrategista da Confederação Brasileira de Judô desde 2007 e, com suas quatro câmeras e dois computadores, criou um poderoso banco de imagens com mais de 22 Tera Bites de lutas de judocas de todo o mundo. Para o Mundial de Tóquio, nada menos do que 173 horas de lutas foram entregues à técnica Rosicleia Campos e outras 182 horas estão a serviço de Luiz Shinohara no time masculino. A maior parte deste material serviu de inspiração para os treinamentos durante a aclimatação em Tóquio. Afinal, todos os 25 atletas mais bem colocados no ranking mundial estavam devidamente catalogados, filmados e com suas principais técnicas elencadas para que os brasileiros não fossem surpreendidos.

Mas veio a surpresa. Tiago Camilo teria o desconhecido marroquino Mohamed Elassri pela frente.

“Aparentemente um atleta que pode não ser uma ameaça normalmente acaba se tornando perigoso pelo efeito surpresa do desconhecido”, diz Mataruna, que acionou sua rede de estrategistas de outros países para sanar o problema. “Consegui duas imagens de lutas com a Argélia e outras duas com os chineses. Assim, na véspera da luta, o Tiago já tinha estudado seu adversário da primeira rodada. Foi a missão mais difícil que tive nesses anos”, comenta ele que, em contrapartida, cedeu aos dois países vídeos de lutas de um cubano e dois canadenses.

Estrategistas de Japão, França, Canadá, Alemanha, Estados Unidos e, claro, Brasil, estão se organizando para que o intercâmbio seja mais próximo, ampliando o leque de cobertura ao mesmo tempo que diminuem os custos.

“Por causa do ranking mundial, hoje em dia a cobertura continental é tão importante quanto as grandes competições do circuito”, explica Mataruna.

O estrategista acredita que, actualmente, o Brasil já esteja no nível quatro do processo:

“O momento um foi entender como funcionava o video scout. Depois, no nível dois, ajustamos a entrega do vídeo aos atletas e técnicos, passando do DVD para o armazenamento digital. No momento três houve a renovação do equipamento e agora, no nível quatro, vamos testar novas tecnologias e alia-las à gestão do conhecimento”, conta Mataruna. “O próximo passo é criar um banco de dados na internet com todo o acervo para acesso remoto dos atletas e comissão técnica”, acrescenta.

A evolução do estrategismo no judô brasileiro é tanta que Mataruna diz, orgulhoso, que o país não deixa nada a dever a outras potências:

“Antes tínhamos um abismo em relação ao Japão. Hoje em dia posso dizer que estamos até um passo à frente. Eles levam vantagem no tamanho da equipe, que conta com seis pessoas no mínimo. Mas nós estamos mais avançado no que diz respeito à entrega aos atletas, por exemplo. Eles ainda usam DVD”, diz.

Manoela Penna, de Tóquio

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Prata para Leandro Cunha e bronze para Sarah Menezes!

domingo, 12 de setembro de 2010

No quarto dia de competição do Campeonato Mundial de Tóquio, o Brasil ganhou prata com Leandro Cunha no meio-leve e bronze com Sarah Menezes no ligeiro. Erika Miranda, meio-leve, foi quinta colocada.

Parabéns aos Brasileiros que estão representando o Brasil como ele merece!

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Guilheiro: Não só eu, mas todo mundo me cobrava uma medalha em mundiais!

domingo, 12 de setembro de 2010

Campeão mundial júnior (2002) e duas vezes medalhista olímpico (2004-08), Leandro Guilheiro conquistou a prata na categoria meio-médio do Campeonato Mundial de Tóquio, sua primeira em Mundiais Sênior. Subido em outubro de 2009 do peso leve (73kg) para o meio-médio (81kg), este é o seu sexto pódio em sete competições do Circuito Mundial na nova categoria, o que o levou à terceira colocação no ranking mundial. Leandrinho foi bronze no Grand Slam de Tóquio 2009, ouro no Grand Slam de Paris 2010, prata no Grand Prix de Tunis 2010, bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro 2010, ouro na Copa do Mundo de São Paulo 2010, só ficando de mãos vazias no Grand Slam de Moscou 2010.

A medalha de Leandro Guilheiro foi a 21a da história do judô brasileiro em mundiais, sendo quatro ouros, quatro pratas e 13 bronzes. Flávio Canto, também no meio-médio, ficou em quinto e Tiago Camilo, no médio, terminou em sétimo ao abandonar a repescagem devido a uma lesão inguinal.

“Não só eu, mas todo mundo me cobrava uma medalha em campeonatos mundiais. Já tive resultado em tudo o que é evento e faltava essa”, diz o judoca santista, que fez em Tóquio fez sua quarta participação na competição chegando pela primeira vez à disputa de medalha. “Num dia em que eu fiz sete lutas, é triste ter morrido na praia. Queria o ouro. Hoje estou chateado, mas com o passar do tempo vou ver que essa medalha é uma conquista realmente importante e que coroou uma boa temporada”, completou o atleta do Pinheiros/SP.

Leandro Guilheiro fez sete lutas até a decisão. Até parar no golden score diante do vice-campeão olímpico 2008 e bronze no Mundial 2009 Jae-Bum Kim (KOR), o brasileiro venceu o vice-campeão mundial de 2005 Francesco Bruyere (ITA), o campeão europeu de 2010 Sirazhudin Magomedov (RUS) e o medalhista olímpico 2004 Flávio Canto, alem de Konstantins Ovchinnkovs (LAT), Alfredo Effron (ARG) e Takahiro Nakai (JPN). Mas foi a luta com Canto que chamou a atenção.

“Somos muito amigos. Tenho oito anos de diferença e nunca na vida pensei que lutaria com o Flávio, muito menos em uma semifinal de Mundial. Quando cheguei na seleção, em 2004, em Atenas, dividia quarto com ele”, diz Leandrinho. “A minha felicidade hoje significaria a tristeza dele. Gostaria que o Flávio tivesse conseguido o bronze para dividirmos o pódio. Ele está com 35 anos, ficou um tempo sem grandes resultados mas o seu retorno esse ano foi impressionante e ele deveria estar orgulhoso do que conquistou em 2010. Gostaria que, se fosse para a gente lutar, que fosse numa final”, completa.

Pela primeira vez, a Federação Internacional de Judô permitiu que os países inscrevessem dois judocas por categoria. A luta foi bastante tática e foi o único combate que Guilheiro não pontuou a partir de um golpe e sim com duas punições de canto. No final, um abraço emocionado entre os dois rendeu aplausos do público.

Na decisão com Kim, Flávio na arquibancada foi um dos principais incentivadores de Leandro em ação. Foi a segunda vez que Kim venceu o brasileiro. A primeira, coincidentemente, foi no Grand Slam de Tóquio em 2009, quando Leandro perdeu para o coreano no golden score da semifinal e conquistou o bronze em sua competição de estréia no meio médio.

Leandro conquistou 300 pontos no ranking mundial, que classifica os 22 melhores para as Olimpíadas de Londres 2012. Com isso, o brasileiro deve chegar à vice-liderança na nova lista.

Os próximos a entrar no tatame no Mundial de Tóquio são Mariana Silva (63kg), Rafaela Silva (57kg) e Bruno Mendonça (73kg). Bruno luta com Wei Liu (CHN), Mariana enfrenta Kylie  Koenig (AUS) e Rafaela pega Nae Udaka (JPN).

Manoela Penna, de Tóquio

 

Fonte: Site da CBJ

 

Saudações Olímpicas!

 

Sebástian Pereira

Leandro Guilheiro é prata no Mundial de Tóquio!

domingo, 12 de setembro de 2010

Campeão mundial júnior em 2002 e duas vezes medalhista olímpico (2004 e 08), Leandro Guilheiro conquista sua primeira medalha em mundial sênior: prata no meio-médio em Tóquio.

É a segunda prata do Brasil na competição, ao lado da conquistada por Mayra Aguiar (78kg) no primeiro dia de competição.
Guilheiro subiu de categoria depois do Mundial de 2009, em Roterdã. Desde que passou do 73kg para 81kg, o judoca santista ganhou medalhas em praticamente todas os torneios: bronze no Grand Slam de Tóquio 2009, ouro no Grand Slam de Paris 2010, prata no Grand Prix de Tunis 2010, bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro 2010, ouro na Copa do Mundo de São Paulo 2010. Apenas no Grand Slam de Moscou 2010 Leandrinho não subiu ao pódio.
Foram sete lutas até a final. Em sua campanha, o momento mais emocionante para os brasileiros: o confronto dos amigos medalhistas olímpicos de Atenas 2004, Guilheiro e Flávio Canto. Guilheiro levou a melhor por yuko (duas punições.
Na final, da arquibancada, Canto (5o colocado) fez questão de incentivar o amigo durante toda a luta.
Fonte : Site da CBJ
Saudações Olímpicas!
Sebástian Pereira

Mayra Aguiar é Prata!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Prata para Mayra Aguiar! MAyra fazendo história nos tatames do Japão!

Excelente resultado pro Brasil e comprovando a evolução do Judô Feminino do Brasil!

Parabéns Mayra, Parabéns ao Kiko (seu técnico), Parabéns a Sogipa (seu clube), Parabéns a Rosicléia Campos (técnica da Seleção Brasileira Feminina) e Parabéns a CBJ.

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

 

Mayra Aguiar está na final!!!! Rafael Silva é quinto. Veja a campanha do Brasil no primeiro dia do Mundial!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

100kg

Luciano Correa derrotado por ippon por Kyle Vashkulat (USA)

+ 100kg

Walter Santos derrotado por ippon por Stanislav Bondarenko
(UKR)

Rafael Silva vence por yuko Martin Padar (EST)

Rafael Silva vence por ippon Jake Andrewarta (AUS)

Rafael Silva perde por ippon para Teddy Riner (FRA)

Repescagem: Rafael Silva vence por waza-ari Lasha Gujejiani (GEO) no golden score

Disputa do Bronze: Rafael Silva perde por ippon para Matthieu Battaile (FRA). Termina em 5 lugar.

78kg

Mayra Aguiar vence por yuko Gyeong-Mi Jeong (KOR)

Mayra Aguiar vence por ippon (hansokumake) Yalennis Castillo
(CUB)

Mayra Aguiar vence por ippon Xiuli Yang (CHN)

Semifinal: Mayra Aguiar vence por ippon Heide Wollert (GER)

Final: Mayra Aguiar x Kayla Harrison (USA)

+78kg

Maria Suellen Altheman derrotada por ippon (hansokumake) por Maki Tsukada (JPN)

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Comitiva do COB embarca para visita de inspeção a Londres!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Uma comitiva do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) embarca nesta segunda-feira, dia 6, para Londres a fim de realizar a segunda visita de inspeção às instalações dos Jogos Olímpicos de 2012. A comitiva será integrada pelo superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, pelo gerente de alto rendimento, José Roberto Perillier, e por outros dois integrantes da gerência de Alto Rendimento da entidade. As reuniões terão início nesta quarta-feira, dia 8.

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 (LOCOG) promoverá visitas a todas as instalações dos Jogos e apresentará a evolução das obras do Parque Olímpico, que abrigará o Estádio Olímpico e de outras oito instalações esportivas, além da Vila Olímpica. Os representantes do COB terão acesso ainda a informações sobre todas as áreas e serviços dos Jogos, como transportes, credenciamento e acomodações, por exemplo. “Esta viagem de inspeção será importantíssima para conhecer de perto as instalações dos Jogos de Londres 2012 e para começarmos a planejar a montagem da Missão brasileira para os próximos Jogos Olímpicos. Esse contato com o Comitê Organizador é fundamental para oferecermos as melhores condições possíveis aos atletas brasileiros durante os Jogos Olímpicos”, explicou Marcus Vinícius Freire.

O COB visitará três universidades para definir o local que abrigará o trabalho de profissionais não credenciados, como treinadores, fisioterapeutas, sparrings e membros do departamento de Ciência do Esporte. A delegação do COB retornará ao Brasil no dia 13.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Mundial de Judô ao vivo na TV!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A Federação Internacional de Judô negociou os direitos de transmissão ao vivo para o Brasil com o canal Esporte Interativo. Veja abaixo as diversas formas de acompanhar a competição:

TV aberta:

VHF

São José dos Campos – Canal 9

Santa Inez – canal 10

UHF

São Paulo – Canal 36

Campinas – Canal 26

Santos – Canal 43

Mogi das Cruzes – Canal 58

Via Parabólica

No satélite C2 analógico, na frequência 980 Vertical, e também no C1 digital, na frequência
3695 horizontal (taxa de símbolo 4400, fec é 2/3).

- TV’s por assinatura:

OI TV – no canal 515

Via Embratel – no canal 48

Cabo Telecom – nos canais 47 (analógico) e 200 (digital)

Internet:

Você pode assistir a programação e os jogos transmitidos pelo Esporte Interativo ao vivo no www.esporteinterativo.com.br

Celular:

Para assistir o Esporte Interativo pelo seu celular, basta ter um aparelho das operadoras TIM ou Oi. Acesse o site da sua operadora e descubra como ter o aplicativo para assistir o Esporte Interativo ao vivo no seu celular.

Fonte: Site da CBJ

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira