Brasil fecha Copa do Mundo de Judô da Venezuela com oito pódios!

No dia em que o Brasil garantiu vaga na próxima fase da Copa do Mundo da FIFA, o judô brasileiro conquistou mais quatro medalhas na Copa do Mundo da Venezuela, etapa do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô. Com o resultado, o país encerra a etapa com oito medalhas no total, sendo uma de ouro, uma de prata e seis de bronze.

Neste domingo, subiram ao pódio Andressa Fernandes (prata /-52kg), Daniela Polzin (bronze /-66g), Raquel Silva (bronze /-52k) e Luiz Revite (bronze /-66kg). No sábado, Nacif Elias (-81kg) conquistou o ouro, enquanto Camila Minakawa (-63kg), Gláucia Lima (-70kg) e Rochele Nunes (+78kg) ganharam o bronze. A Copa do Mundo da Venezuela contou pontos para o ranking mundial e olímpico da modalidade.

Nas copas do mundo, a medalha de ouro conta 100 pontos para o ranking, a prata 60 e o bronze 40. Na Venezuela, foram 18 países e 150 judocas. Essa é a 13ª etapa de copas no Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô. Até o momento o Brasil faturou 30 medalhas neste tipo de competição, sendo nove de ouro.

Andressa Fernandes ficou com a prata ao ser superada na final pela cubana Yanet Bermoy, medalhista olímpica e campeã mundial. Andressa sofreu um wazari com pouco mais de um minuto de luta e não conseguiu reverter o placar.

Daniela Polzin garantiu o bronze ao vencer na disputa da medalha a canadense Bianca Ockedahl por ippon. Raquel Silva bateu por ippon a americana Angelica Delgado enquanto Luiz Revite superou Fabian Gonzales, da Colômbia, por yuko.

CIRCUITO MUNDIAL

O Circuito Mundial de Judô foi criado pela Federação Internacional de Judô em 2009. O calendário reúne 26 eventos, entre Masters, Grand Slam, Grand Prix e Copa do Mundo, todos valendo pontos para o ranking mundial. A partir deste ranking é que serão definidos os atletas que participarão dos Jogos Olímpicos de 2012. A contar de maio deste ano, todas as competições já valem pontos em busca da vaga para Londres 2012.

O Brasil é o único país que tem a responsabilidade e o privilégio de organizar dois eventos do Circuito: o Grand Slam do Rio de Janeiro e a Copa do Mundo de São Paulo. E na luta pelo sonho olímpico, poder competir “em casa” em duas oportunidades é um estímulo a mais para os judocas brasileiros.

Fonte: Site do COB

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Deixe um comentário