Reeleição no Comitê Olímpico Brasileiro

COB ADOTARÁ MERITOCRACIA NO REPASSE DE RECURSOS ÀS CONFEDERAÇÕES OLÍMPICAS A PARTIR DE 2009

Os critérios de repasse de recursos da Lei Agnelo/Piva pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) às Confederações Brasileiras Olímpicas serão reformulados para o novo ciclo, visando os Jogos Olímpicos Londres 2012. O novo sistema tem como objetivo aperfeiçoar a aplicação dos recursos nas Confederações e a avaliação dos resultados técnicos das modalidades, com base nos projetos apresentados pelas entidades e aprovados pelo COB. “Pequim 2008 marcou o primeiro ciclo olímpico completo com os recursos da Lei Agnelo/Piva, período no qual houve avanço qualitativo do esporte olímpico. A melhoria das condições de treinamento dos atletas, como a aquisição de equipamentos e a contratação de técnicos estrangeiros, e o aperfeiçoamento da gestão esportiva, entre outros fatores, resultaram na conquista de diversos títulos mundiais. Mas queremos e podemos avançar mais”, afirmou o presidente do COB Carlos Arthur Nuzman, que, assim como o vice-presidente André Gustavo Richer, foi reeleito por aclamação para a presidência do COB no período entre 1º de janeiro de 2009 e 31 de dezembro de 2012. A eleição aconteceu em Assembléia realizada na noite desta quinta-feira, no Rio de Janeiro.

“Vamos estabelecer novos parâmetros para esses repasses de recursos às Confederações, apoiados na meritocracia. Com isso, vamos aprimorar tanto o planejamento como a avaliação dos resultados de cada modalidade obtidos ao longo do novo ciclo olímpico, visando Londres 2012″, ressaltou.

Desde janeiro de 2002, quando se iniciou o repasse, as Confederações recebem valores com base em percentuais fixos do montante que o COB recebe através da Lei Agnelo/Piva. Pela lei, 2% do prêmio pago aos apostadores de todas as loterias federais do país são repassados ao Comitê Olímpico Brasileiro (85%) e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro (15%).

Sobre a reeleição, Nuzman reiterou a confiança das Confederações ao trabalho do COB. “A evolução qualitativa do esporte brasileiro nos últimos anos é fruto, entre outros aspectos, do trabalho conjunto do COB com as Confederações. Estamos prontos e estimulados a trabalhar ainda mais pelo desenvolvimento do esporte brasileiro”, afirmou.

O colégio eleitoral da Assembléia do COB é formado pelas 28 confederações olímpicas, por quatro membros natos (João Havelange, André Gustavo Richer, Carlos Arthur Nuzman e Carlos Osório de Almeida) e por quatro membros do Conselho Executivo (Christiane Paquelet, Marcus Vinícius Freire, João Grangeiro e Edson Menezes). Não compareceram à assembléia as Confederações de Futebol e de Desportos no Gelo e os membros João Havelange, Carlos Osório de Almeida, e Christiane Paquelet.

A chapa eleita pela Assembléia do COB para o quadriênio 2008 – 2012:

Presidente – Carlos Arthur Nuzman
Vice-presidente – André Gustavo Richer

Membros da Assembléia

Alexandre Abeid
Antonio José Carneiro
Bernard Rajzman
Carlos Roberto Osório
Christiane Paquelet
Edson Figueiredo Menezes
Eduardo Henrique De Rose
Fábio Starling de Carvalho
João Grangeiro Neto
Leonardo Gryner
José Gustavo de Souza Costa
Manoel Félix Cintra Neto
Marcus Vinícius Freire
Mauricio Tadei Barthel Manfredi

Membros do Conselho Fiscal

Sergio Ribeiro Lins de Alvarenga – efetivo
Ângelo Moniz Freire Vivacqua – efetivo
Guilherme de Oliveira Campos – efetivo
Meton Braga de Oliveira – suplente
Wandir Kuntze – suplente

Divulgação: Assessoria de Imprensa COB

Tags: , ,

Deixe um comentário