Posts com a Tag ‘Judô’

“Golias” do judô brasileiro conquista a medalha de ouro na categoria livre.

domingo, 21 de março de 2010

A cena chega a ser no mínimo curiosa. Na final da categoria Open do judô dos Jogos Sul-americanos Medellín 2010, realizada neste domingo, dia 21, o paranaense Rafael Silva, de 22 anos e 2,05m, derrotou o peruano German Correa, de apenas 1,70m. O confronto ocorre na categoria onde um judoca de cada país é indicado por sua delegação para competir, independente de seu peso. Rafael não tomou conhecimento do adversário e, numa verdadeira batalha entre Davi e Golias, impôs sua força, superando o adversário com um Ippon.
O atleta, que também integra a equipe do Exército Brasileiro, que se prepara para os Jogos Mundiais Militares, mostrou-se satisfeito com seu desempenho. “É uma honra ser indicado para competir pela Open. Saio dos Jogos com duas medalhas de ouro e todas as vitórias por Ippon”, comemorou o gigante, que anteriormente já havia vencido em sua categoria, a pesado (+100kg).
Nas outras disputas de medalhas do dia, na categoria até 48 kg, Daniela Polzin ficou com a prata ao ser derrotada pela Argentina Paula Pareto. Daniela sentiu-se mal durante a luta e viu sua performance diminuir, dando chances para a oponente lhe aplicar um golpe vencedor. Catiere Toledo, com mais um Ippon, derrotou a chilena Antonieta Manque e chegou à medalha de prata na categoria até 44kg. No masculino, Ricardo Ayres (-60kg) perdeu a disputa da medalha de bronze para o venezuelano Javier Guedez.

Fonte: Site do COB

Saudações olímpicas!

Sebástian Pereira

Seleção estreia nesta sexta nos Jogos Sul-Americanos.

quinta-feira, 18 de março de 2010

A seleção brasileira de judô estreia nesta sexta-feira (19) nos Jogos Sul-Americanos de Medelin, na Colômbia, etapa importante na preparação da equipe para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Glaucia Lima (-70kg), Stefani Luppetti (-78kg), Priscila Marques (+78kg), Eduardo Santos (-90kg), Leonardo Leite (-100kg) e Rafael Silva (+100kg) serão os primeiros judocas em ação no evento. O Brasil também será representado nos Jogos por Catiere Toledo (-44kg), Daniela Polzin (-48kg), Andressa Fernandes (-52kg), Ketleyn Quadros (-57kg), Laisa Santana (-63kg), Ricardo Ayres (-60kg), Luis Revite (-66kg), Bruno Mendonça (-73kg) e Rodrigo Luna (-81kg).

“A competição será de alto nível, principalmente no feminino. Argentina, Colômbia e Venezuela estão bem fortes em algumas categorias”, comenta a técnica da seleção feminina, Rosicléia Campos.

O ligeiro Ricardo Ayres, que faz sua estreia em jogos sul-americanos, está motivado.

“Cheguei da Europa com uma nova visão do judô, após treinar com os melhores do mundo. Viajo bem consciente do meu papel na equipe e estou confiante para conquistar um bom resultado. Com certeza os Jogos Sul-Americanos são importantíssimos, pois tem grande visibilidade”, diz Ricardo Ayres.

Além de Rosicléia Campos, a comissão técnica em Medelin será formada pelo chefe de delegação Pedro Sinohara, o médico Breno Shor, a fisioterapeuta Roberta Mattar, a nutricionista Gisele Lemos, e o treinador Amadeu Moura (masculino).

O Brasil será representado por um total de 557 atletas nos Jogos Sul-americanos. Ao todo, incluindo os oficiais, membros de comissões técnicas, médicos, massagistas e  fisioterapeutas, o Comitê Olímpico Brasileiro levará cerca de 700 pessoas para Medellín. O Brasil participará de 37 modalidades.

Fonte: Site da CBJ

Força Brasil!

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

Encontro de medalhistas Olímpicos!

domingo, 7 de março de 2010

Trinta e seis anos separam os bronzes olímpicos de Chiaki Ishii e Ketleyn Quadros, conquistados, respectivamente em 1972 e 2008. Primeira judoca a subir num pódio em olimpíada, Ketleyn Quadros não conhecia pessoalmente o primeiro medalhista do judô brasileiro. A espera teve fim nesta sexta-feira (5), em São Paulo. No lançamento da etapa paulista da copa do mundo, os dois puderam se conhecer e conversar.

“Perguntei para ela se já havia treinado alguma vez com a minha filha Vânia. Pois, caso tivesse, teria aprendido também um pouco do meu judô. Acho que é um momento muito especial estarmos todos juntos, assistindo toda esta nova fase do nosso esporte”, diz Chiaki Ishii.

Ketleyn Quadros volta para Belo Horizonte renovada.

“Foi em uma torneio que vi pela primeira vez um vídeo da final de 1988 do Aurélio. Estar aqui perto dele, Rogério Sampaio e, principalmente Douglas Vieira, Luis Onmura e Chiaki Ishii é emocionante, pois nunca havia estado próxima deles antes. Eu sonhava um dia ser medalhista olímpica, mas sem dúvida hoje é um dia especial”, destaca Ketleyn.

Bronze em Pequim 2008 e Atenas 2004, Leandro Guilheiro também ficou emocionado com o encontro:

“Eu me sinto orgulhoso de fazer parte disso. Estar hoje aqui, ao lado de tantos nomes importantes para o judô é algo que eu gosto muito. Poder conversar com o Aurélio, que impulsionou o meu início no judô e me fez acreditar que poderia ser medalhista olímpico é realmente especial. Numa modalidade onde a tradição é tão levada a sério, este resgate dos medalhistas olímpicos é ótimo. É legal trazer eles o mais próximo possível de nós, que ainda estamos na ativa”, Guilheiro.

Fonte: Site da CBJ

É muito bom poder ver toda a história de medalhas olímpicas reunidas pelo judô nacional. Para podermos fazer nosso judô crescer de forma sustentável e fazer com que os mais novos judocas possam acreditar que a medalha olímpica é possível, nada melhor que resgatar todos esses ídolos que fizeram e fazem parte do Judô Nacional e Mundial.

A participação de cada medalhista em treinamentos e encontros com os mais novos é fundamental para a continuidade da história de medalhas em Jogos Olímpicos e em Mundiais. A presença destes ídolos no lado de cada talento é a garantia de sucesso do judô brasileiro.

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira�

COPA DO MUNDO DE JUDÔ É LANÇADA EM SÃO PAULO

domingo, 7 de março de 2010

São Paulo receberá, nos dias 29 e 30 de maio, a Copa do Mundo de Judô, evento que faz parte do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô e conta pontos para o ranking de classificação para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Devem participar cerca de 200 atletas de 40 países, entre eles os melhores judocas do mundo. A Copa do Mundo será disputada no Ginásio da Hebraica uma semana depois da realização do Grand Slam do Rio de Janeiro, no Maracanãzinho, também válido pelo Circuito Mundial.

A solenidade de lançamento aconteceu nesta sexta-feira (5), na sede da Prefeitura de São Paulo, com a presença do Prefeito Gilberto Kassab, do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, do presidente da Federação Internacional de Judô, Marius Vizer, do presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Wanderley Teixeira, do Secretário de Esportes de São Paulo, Walter Feldman, além de outras autoridades e patrocinadores do judô. Estiveram presentes também dez dos doze medalhistas olímpicos do judô brasileiro, que juntos conquistaram 13 das 15 medalhas da modalidade nos Jogos: Chiaki Ishii (bronze 1972), Luiz Onmura (bronze 1984), Douglas Vieira (bronze 1984), Aurélio Miguel (ouro 1988 e bronze 1996), Rogério Sampaio (ouro 1992), Henrique Guimarães (bronze 1996), Carlos Honorato (prata 2000), Tiago Camilo (prata 2000 e bronze 2008), Leandro Guilheiro (bronze 2004 e 2008) e Ketleyn Quadros (bronze 2008).

“Tínhamos essa dívida com São Paulo, de trazer um grande evento para a cidade que nos 10 dos nossos 12 medalhistas olímpicos. Espero que seja o primeiro de muitos outros campeonato de judô na cidade”, disse o presidente da CBJ, Paulo Wanderley Teixeira, que entregou com Henrique Guimarães, um quimono ao Prefeito Kassab.

Vestido com o uniforme oficial da seleção brasileira, Kassab falou da união entre a cidade de São Paulo e o judô:

“Quero que este quimono seja o símbolo da nossa parceria”, afirmou o Prefeito da capital paulista.

No que depender do presidente da FIJ, Marius Vizer, o caminho está definido para São Paulo voltar a sediar um Campeonato Mundial pela primeira vez na história.

“Gostaria de parabenizar o judô brasileiro por tudo o que vem fazendo. A Copa do Mundo em São Paulo é um dos eventos mais importante do mundo e, quem sabe, não teremos o prazer de voltar à cidade para o Campeonato Mundial de 2013”, disse Vizer, que homenageou com uma placa dourada o Prefeito Kassab e o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, pelo apoio ao esporte.

Nuzman, em seu discurso, fez questão de elogiar a gestão do judô brasileiro e comentar a possibilidade de o Brasil voltar a ser sede de um Mundial depois do sucesso do Mundial de 2007, no Rio de Janeiro.

“O presidente Paulo Wanderley fez uma revolução no judô e fico especialmente feliz quando ouço Aurélio Miguel elogiar seu trabalho. Para as pretensões do Brasil nas Olimpíadas do Rio em 2016, receber um Campeonato Mundial de Judô em 2013 seria muito bom”, comentou Nuzman.

O primeiro campeão olímpico do judô brasileiro, Aurélio Miguel, lembrou da importância do trabalho de base para revelar futuros talentos do esporte.

“Gostaria de dar parabéns ao presidente Paulo Wanderley pelo grande trabalho que vem fazendo no judô. Gostaria que São Paulo fosse a pioneira em realizar uma Copa Revelação de novos talentos, todos os anos, em julho, assim como já ocorre com a Copa São Paulo de Futebol Júnior, no começo do ano”, disse Aurélio.

A vocação de São Paulo para o esporte foi reforçada pelo Secretário Walter Feldman.

“O Rio pode ser a capital olímpica, mas nós queremos ser a capital brasileira do esporte, e é para isso que estamos trabalhando”, disse o Secretário.

CIRCUITO MUNDIAL
O Circuito Mundial de Judô foi criado pela Federação Internacional de Judô em 2009. O calendário reúne 26 eventos, entre Masters, Grand Slam, Grand Prix e Copa do Mundo, todos valendo pontos para o ranking mundial. A partir deste ranking é que serão definidos os atletas que participarão dos Jogos Olímpicos de 2012. A contar de maio deste ano, todas as competições já valem pontos em busca da vaga para Londres 2012.

O Brasil é o único país que terá a responsabilidade e o privilégio de organizar dois eventos do Circuito: o Grand Slam do Rio de Janeiro e a Copa do Mundo de São Paulo.  E na luta pelo sonho olímpico, poder competir “em casa” em duas oportunidades é um estímulo a mais para os judocas brasileiros.

REPRESENTANTES DO BRASIL
Por ser país sede, o Brasil pode inscrever quatro atletas em cada uma das 14 categorias de peso tanto no Grand Slam, quanto na Copa do Mundo, o que propiciará ao público um contato direto com os principais atletas da modalidade. Entre os destaques da seleção nacional estão medalhistas olímpicos como Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Flávio Canto e Ketleyn Quadros, além atletas que figuram entre os principais de suas categorias no ranking mundial, como Sarah Menezes, Rafaela Silva, Luciano Corrêa, Daniel Hernandes, entre tantos outros craques do quimono!

São Paulo, cidade com maior colônia japonesa fora do Japão no mundo, sem dúvida receberá com entusiasmo a nata do judô mundial para dois dias de ippons plásticos! Já a cidade olímpica do Rio de Janeiro deverá lotar o Maracanãzinho para aplaudir as feras dos tatames, num evento também de dois dias.

Ambas as cidades assinaram com a Confederação Brasileira de Judô contratos de longo prazo, garantindo a realização desses eventos nas duas grandes capitais esportivas do país até os Jogos de Londres, em 2012.

DATAS 2010 / BRASIL
Grand Slam Rio de Janeiro, 22 e 23 de maio – Maracanãzinho
Copa do Mundo São Paulo, 29 e 30 de maio – Ginásio da Hebraica

Fonte: Assessoria de Imprensa da CBJ

 

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

 

2010!

domingo, 17 de janeiro de 2010

Começamos 2010 com muita esperança de uma arrancada na preparação para os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. Na próxima semana, a Confederação Brasileira de Judô dá início aos treinamentos da seleção brasileira em São Paulo. Entre os dias 19 e 27 de janeiro a seleção brasileira estará se preparando para a desgastante processo de ranqueamento olímpico, que se inicia 01 de maio de 2010 e vai até 31 de abril de 2012, onde no masculino os 22 primeiros e no feminino as 14 primeiras, melhores ranqueados estarão automaticamente classificados para Londres.

Algumas mudanças importantes no processo de qualificação olímpica são:

  1. A vaga será exclusivamente do atleta e não mais do país, o que torna muito desgastante o calendário para os atletas, que são passíveis de contusão e assim, dificultando a obtenção de pontos no ranqueamento;
  2. O novo ranqueamento será mundial e não mais continental, o que acontecia no ciclo olímpico passado;
  3. Além das vagas automáticas, que são 22 atletas no masculino e 14 no feminino, cada país filiado a federação internacional terá direito a mais uma vaga, a ser escolhida pelo país;

Os atletas terão agora, mais do que nuca, que se conscientizar da importância de se tornarem cada mais atletas e comprometidos com a preparação planejadas por suas comissões técnicas em concordância com a Comissão Técnica da CBJ.

Cada atleta terá importante papel dentro de seus clubes, porém, se cada um tem ambições maiores, como a medalha olímpica, será importante a união das forças entre todos os envolvidos no processo de planejamento. 

Esperamos que não hajam vaidades neste processo, pois caso contrário os maiores prejudicados serão os atletas, os principais atores deste processo.

Vamos em frente e com muita esperança em busca do melhor resultado para o Brasil!

Saudações Rubro-Negras!�

Grand Prix de Abu Dhabi!

sábado, 21 de novembro de 2009

Ontem e hoje aconteceu o Grand Prix de Judô, em Abu Dhabi, com a participação de 4 brasileiros. Flávio Canto – 81kg, Leonardo Leite – 100kg, Daniel Garcês -66kg e Edmilson Conceição – 90kg foram nosso representantes em Abu Dhabi. Os três primeiros conseguiram 5° lugar em suas categorias e Edmilson não passou da primeira luta. Com o resultado os três atletas garantem mais 40 pontos no ranking mundial da Federação Internacional de Judô.

Flávio não precisou fazer a luta de estréia contra o iraniano Mohammad Jamali e acabou indo diretamente para às quartas-de-final contra o campeão mundial Guillaume Elmont, da Holanda. Flávio acabou derrotado por ippon. Leonardo Leite enfrentou Daniel Brata, da Romênia, também nas quartas-de-final e foi superado com um wazari pelo romeno. Já Daniel Garces, que integrou a seleção brasileira e reside em Abu Dhabi, perdeu por yuko para Ulugbek Norgobilov, do Uzbequistão.

Curiosidade ficou por conta de Daniel Garcês e Edmilson Conceição que andavam sumido das competições internacionais e nacionais. Isto por conta dos dois estarem morando nos Emirados Árabes Unidos, em Abu Dabhi dando aula de Judô, seguindo o destino de muitos lutadores brasileiros que estão hoje no oriente médio, sendo atraídos pelos “petro-dólares”. Desejamos aos dois muita sorte nesta nova caminhada.

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Bronze para o Brasil!

sábado, 24 de outubro de 2009

Mais uma medalha para o Brasil! Mariana Silva, na categoria -63kg, conquistou a medalha de Bronze para o Brasil.

Mariana venceu na estreia Renalda Gedutyte, da Lituânia, por ippon. Nas oitavas-de-final, passou pela russa Tatiana Kazenyuk com um yuko (duas punições) e na fase seguinte conseguiu um ippon em Vlora Bedeti, da Eslovênia. Nas semi, acabou superada pela japonesa Sayuri Yamamoto por ippon. Na disputa do Bronze venceu com uma vitória por yuko sobre a ucraniana Tetiana Levytska.

Parabéns Mariana!!!

O feminino do Brasil comprovando seu desenvolvimento técnico. As meninas mais uma vez, superando os meninos nos resultados.

Bom para o Judô Feminino, para o Judô Brasileiro e para o Esporte Brasileiro.

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Ps: Informações extraídas do site da CBJ.

Bi-Campeã Mundial Junior!!! Parabéns Sarah!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Primeiro dia de competição e Sarah Menezes já nos deu a primeira medalha. E ela veio de Ouro, medalha de Ouro.

Muito bom! Maravilhoso ver a garotada dando frutos e vislumbrando um futuro brilhante para o Judô Brasileiro.

Parabéns ao seu técnico pessoal Expedito Falcão que desde cedo soube trabalhar o potencial desta menina guerreira.

Parabéns a Confederação Brasileira de Judô por acreditar e apostar na nova geração! Os invetimentos não devem parar por aí…crescem os resultados…crescem os investimentos.

Parabéns ao Comitê Olímpico Brasileiro por acreditar nesta modalidade – Judô – e continuar dando o suporte necessário ao Judô.

Hoje foi somente o primeiro dia e vamos para cima deles.

Parabéns aos outros atletas que competiram hoje, não tiveram a mesma sorte, mas já estão entre os melhores.

Força Brasil!

Boa Sorte!

Saudações olímpicas!

Sebástian Pereira

Campeonato Mundial Junior – 2009!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pessoal,

Vamos torcer pela nossa garotada neste campeonato mundial junior, que se inicia amanhã, dia 22 de outubro e vai até 25 de outubro, em Paris, França.

Muitos que estarão em competição a partir de amanhã, poderão ser nossos representantes em Londres 2012 e no Rio 2016.

Programação Mundial Júnior

22/10 – Categorias -55kg, -60kg, -44kg e -48kg

23/10 – Categorias -66kg, -73kg, -52kg e -57kg

24/10 – Categorias -81kg, -90kg, -63kg e -70kg

25/10 – Categorias -100kg, +100kg, -78kg e +78kg

Vamos torcer!

Muita sorte Brasil!

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Preparação Física

domingo, 11 de outubro de 2009
ANÁLISE COMPETITIVA PARA TRANSFERÊNCIA AOS MÉTODOS DE TREINO, ATRAVÉS DA INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA, TÁTICA E TÉCNICA (TOKUI WAZA) INDIVIDUAL E PRESERVAÇÃO GERAL DO ATLETA.

Marcus Albuquerque (Preparador físico da Seleção Brasileira de Judô)

O Judô caracteriza-se por uma diversidade de movimentos e uma cinestesia única, com movimentação espaço-temporal com alto nível de complexidade, frequência intensa de trabalhos musculares assimétricos agonistas/antagonistas e utilização mista dos sistemas energéticos funcionais, dependendo do tipo de tática empregada em cada combate, cada um diferenciado do outro em detalhes singulares.

A toda essa ampla margem de ação competitiva, soma-se um calendário intenso, extenuante, que inclui, em determinados momentos, até dois a três ciclos olímpicos. As características dos modelos de competição e montagens de rankings impõem reviravoltas em planejamentos periodizados sobre duas ou mais possibilidades de desdobramentos de calendários, dependendo do desempenho do(s) atleta(s) nas etapas classificatórias.

Com isso, a principal parte do processo, O ATLETA, fica à mercê de multifatores que fogem ao seu controle quase completamente. Dentre estes, o mais importante é a sua manutenção estrutural física e psicológica, sua saúde plena, sua natureza de competidor, a vontade competitiva e, o supra-sumo, sua gana e garra de campeão, vencedor, sempre.
Para melhorar o desempenho e diminuir os problemas, vale a máxima do “quanto menos, melhor!”. Pois por ter múltiplos aspectos, o Judô deve incidir em sintonia fina através de sua especificidade, para preservar e manter o atleta por muitos anos, reduzindo lesões e acúmulo de estresse fisiológico e psicológico.

Uma das formas de reduzir o excesso de treino é estudar as competições em suas formas de desenvolvimento, ou seja, criar um mecanismo de estudo descritivo dos fatores que acontecem no exato momento da disputa. A isto, chama-se tabela de desenvolvimento de atuação, onde são coletados dados como o tempo de luta (levando-se em conta as divisões de mate/hajime), ataques realizados por tempo fracionado (pode-se utilizar um minuto como padrão), técnicas utilizadas, lateralidade de ações etc., análises estas feitas tanto em relação ao(s) atleta(s) estudado(s) quanto ao(s) seu(s) adversário(s).

A análise das competições, através de “tabelas de desenvolvimento de atuação” (scouts), revela as principais características do desempenho vitoriosa do(s) atleta(s). Estas tabelas incluem o maior número possível de dados a serem coletados e analisados, que podem influenciar diretamente o planejamento e a estruturação dos treinos físicos em todas as suas fases. Na primeira, de análise de dados competitivos e transferência de informações, está a coluna central do desenvolvimento de todo o planejamento de ações, seja de uma equipe, mista ou não, de uma categoria determinada, ou de um indivíduo. Dentro da coleta geral de dados da competição, subdividem-se as principais características da periodização específica:
- gênero.

As diferenças competitivas entre os gêneros focam, principalmente, a diferença entre os níveis de desenvolvimentos das qualidades físicas, incluindo aí aspectos femininos exclusivos, relacionados ao aparelho reprodutor (aumento de peso corporal no período menstrual, TPM, regulação hormonal através de anticoncepcionais etc.).
- classes.

As fases de crescimento e desenvolvimento motor, funcional e psicológico são o cerne do planejamento em longo prazo e deles, e sua melhora funcional, dependem em grande parte a longevidade competitiva do(s) atleta(s).
- categoria.

A análise intrínseca dos padrões de desenvolvimento das lutas, através dos scouts, apresenta nuances importantes na utilização das qualidades físicas e sistemas energéticos, pelo(s) atleta(s), durante as competições, nas diversas categorias Essa diferenciação vai nortear, basicamente, os treinos específicos de ganho de potência e velocidade, e aprimorar as demais qualidades físicas, baseando-se na tática e técnica individual.
- táticas, tanto própria(s) quanto do(s) adversário(s).

Ponto crucial para o desenvolvimento da utilização dos sistemas energéticos na imposição de ritmo de luta e condução do combate. Dados utilizados para a formatação dos treinos tático-físicos no dojo, com ênfase a mudanças de placar, ataques sucessivos, ganho e manutenção de kumi kata e busca imperiosa de ippon, o mais rápido possível.
- técnicas mais utilizadas, tanto contra quanto a favor.

As tokui waza definem, desde sempre, o programa de desenvolvimento muscular, com suas qualidades físicas específicas competitivas. Para isso, é necessária a “desconstrução” das técnicas, análise biomecânica das principais articulações e grupos musculares envolvidos, e a “reconstrução” da mesma através de exercícios contrarresistência, tanto em aparelhos convencionais (salas de musculação, halteres, anilhas, caneleiras etc.), quanto com utilização de técnicas não ortodoxas, como meios naturais, peso corporal, materiais alternativos (bolas, elásticos, ginásticas acrobáticas, yoga, treinamento de consciência corporal etc.).

As técnicas adversárias auxiliam na criação de treinos táticos e técnicos de defesa, tai sabaki e kaeshi waza, além de influenciar a formação de treinos combinados e criação de novas alternativas de combate.
- condições gerais normais (análise das avaliações morfofuncionais) e situações específicas de lesões ou outros problemas externos que influenciem o desempenho.

A parte principal do treino – a individualidade biológica. Em determinados momentos, a busca pela vitória extrapola a consciência e rasga a tênue linha entre o ético e o possível. Quando não se medem esforços em busca da vitória a qualquer preço, alguém paga por isso, em determinado momento, e à vista. Por estes fatores, a formação do competidor, desde a base mais simples, em sua tenra infância, deve vir acompanhada de uma formação ética, sensível e responsável.

Através das avaliações das principais fases de crescimento e desenvolvimento ao longo da carreira, os planejamentos em longo prazo ganham uma maior fidedignidade e respeito à natureza morfológica e genética do atleta. Conhecer seus limites, ampliá-los de forma consciente e responsável, calcá-los em uma sólida e longa carreira vitoriosa, são as principais funções dos treinadores em relação aos seus comandados.

Dentro de avaliações constantes e reavaliações comparativas, o cuidado com a assertiva do planejamento, e suas devidas reestruturações, dependendo dos resultados obtidos. As possíveis lesões decorrentes de treinos, competições e momentos pessoais sociais, devem entrar no planejamento concomitante com o tratamento, adaptando-se todas as formas pré-planejadas à nova capacidade funcional do indivíduo. E, partindo deste ponto, refazer os métodos e meios de treino através de uma análise crítica que evite futuros problemas desta ordem.

Com isto, CRIAR, CRESCER, DESENVOLVER e PRESERVAR são as palavras de ordem no moderno mundo do Judô competitivo.

SAUDAÇÕES OLÍMPICAS!!!

Sebástian Pereira