Posts com a Tag ‘Mundial Júnior’

Bronze para o Brasil!

sábado, 24 de outubro de 2009

Mais uma medalha para o Brasil! Mariana Silva, na categoria -63kg, conquistou a medalha de Bronze para o Brasil.

Mariana venceu na estreia Renalda Gedutyte, da Lituânia, por ippon. Nas oitavas-de-final, passou pela russa Tatiana Kazenyuk com um yuko (duas punições) e na fase seguinte conseguiu um ippon em Vlora Bedeti, da Eslovênia. Nas semi, acabou superada pela japonesa Sayuri Yamamoto por ippon. Na disputa do Bronze venceu com uma vitória por yuko sobre a ucraniana Tetiana Levytska.

Parabéns Mariana!!!

O feminino do Brasil comprovando seu desenvolvimento técnico. As meninas mais uma vez, superando os meninos nos resultados.

Bom para o Judô Feminino, para o Judô Brasileiro e para o Esporte Brasileiro.

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira

Ps: Informações extraídas do site da CBJ.

Brasil encerra participação histórica no Mundial Júnior

domingo, 26 de outubro de 2008

Uchi-mata-SarahO Brasil tem judô para muitos anos ainda. A seleção brasileira júnior volta do Campeonato Mundial de Bangkok com cinco medalhas na bagagem: a melhor participação do país em mundiais da categoria em todos os tempos. Subiram ao pódio Sarah Menezes (-48kg, ouro), Rafaela Silva (-57kg, ouro), Camila Minakawa (-63kg, bronze), Mayra Aguiar (-70kg, prata), Victor Penalber (-73kg, bronze), além do quinto lugar do ligeiro Felipe Kitadai e do sétimo lugar do pesado Luis Carmo. O Brasil acabou em terceiro lugar no quadro de medalhas geral entre 83 países, atrás apenas de Japão (11 medalhas, quatro ouros) e França (quatro medalhas, 2 ouros e 2 pratas) e à frente de Rússia, Coréia, Geórgia, entre outras potências internacionais. No feminino, o Brasil ficou em segundo no geral, novamente atrás do Japão.

“O judô feminino do Brasil tende a crescer muito ainda. Aumentamos visivelmente a quantidade de praticantes no país e, com isso, a qualidade aumenta. Nas seletivas conseguimos realmente apurar as melhores”, comemora o técnico da seleção júnior feminina, Mario Tsutsui. “O maior contato com a seleção e o investimento em viagens para competições e treinamentos internacionais já estão fazendo a diferença. Temos uma boa geração em mãos”, acrescenta o treinador.

E é por causa de uma dessas seletivas que o desembarque no Brasil não será tão “festivo” como se poderia supor. Parte dos atletas que chegam de Bangkok já têm compromisso pela frente: a Seletiva Londres 2012, nos dias 1 e 2 de novembro, em Vitória/ES. Raquel Lopes (-52kg), Rafaela Lopes (-57kg), Camila Minakawa (-63kg), Stefanie Lupetti (-78kg), Rochelle Nunes (+78kg), Felipe Kitadai (-60kg), Marcos Seixas (-66kg), Marcelo Filho (-81kg), Bruno Altoe (-90kg), Marco Junior (-100kg) e Luis Carmo (+100kg) estará em ação no próximo final de semana. Cada categoria terá cinco concorrentes que buscarão vaga para enfrentar o reserva da seleção olímpica. O vencedor entre estes, então, disputará a posição com o titular em Pequim 2008.

“A medalha vai ajudar a motivar para a seletiva, mas lá a história é outra”, diz a campeã mundial Rafaela Silva.

“Temos que virar a página rápido e concentrar no novo desafio”, concorda a medalhista de bronze Camila Minakawa.

Divulgação: Site da CBJ

Parabéns ao Judô Brasileiro!

Saudações Olímpicas

Sebástian Pereira

O momento certo!

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Campeonato Mundial Júnior de Judô! Tenho muito carinho por esta competição, pois foi à competição que me consolidou no Judô Mundial.

O Campeonato Mundial Júnior é uma importante competição no desenvolvimento de cada atleta. Temos muitos atletas, hoje, que fazem parte da Equipe Principal do Brasil, mesmo ainda tendo idade para a classe Júnior. Comprova a grande facilidade de renovação do Judô Brasileiro.

Enquanto atleta, recordo-me de algumas oportunidades em que ficava extremamente decepcionado com minha atuação nos campeonatos importantes na Classe Sênior. Logicamente, sempre temos o objetivo de conquistar o possível e impossível, mas em certos momentos temos que refletir sobre tudo ao nosso redor. Existe o momento certo para tudo.

Quando em 1996, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, então com 20 anos, último ano da classe Júnior, porém já representando o Brasil no Campeonato mais importante do mundo, perdi a medalha de bronze, para o americano James Pedro, ficando em 5°Lugar, fiquei extremamente chateado e chorei muito. Lembro-me de meu pai, me consolando e chorando junto comigo, me apoiando e me dando suporte para seguir em frente, pois dois meses depois eu teria a competição mais importante para a minha classe, o Campeonato Mundial Júnior.

Meu técnico, Ney Wilson, me disse antes dos Jogos Olímpicos que o grande objetivo da temporada era o Mundial Júnior. Não entendi direito, mas segui em frente. Após os Jogos, ele me lembrou deste objetivo.

Lutei como nunca o Mundial Júnior e venci quase todas as lutas por Ippon. Saí consagrado. E nunca mais fui o mesmo. Saí um atleta mais maduro e completo. Fortaleceu-me para todas as outras conquistas futuras.

Hoje, tento passar toda essa experiência e relato para os mais jovens, orientando-os no desenvolvimento de suas carreiras. Nunca desanimar frente a um insucesso. Temos que respeitar o momento.

Naquela época, fui o segundo brasileiro a ser Campeão Mundial Júnior, feito conquistado somente por nosso Campeão Olímpico Aurélio Miguel. Após minha conquista, muitos brasileiros, chegaram a conquista do Mundial, entre eles Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Fabiane Hukuda e muitos outros. Isso representa a força do Judô Brasileiro.

Que venham muitas outras conquistas para o Judô Brasileiro!

Saudações Olímpicas!

Sebástian Pereira